G1 Mundo

57 guardas são mantidos reféns em prisões no Equador

today1 de setembro de 2023 10

Fundo
share close

O Serviço Nacional de Atenção às Pessoas Privadas de Liberdade (Snai), entidade responsável pelo sistema prisional, que sete reféns são agentes policiais. “Estamos preocupados com a segurança dos nossos funcionários”, disse o ministro do Interior, Juan Zapata, em coletiva de imprensa.

Na quarta-feira (30), centenas de soldados e policiais realizaram uma operação de busca por armas, munições e explosivos em uma prisão na cidade andina de Latacunga, no sul do Equador. Uma das principais do país, a penitenciária é frequente de massacres — 430 pessoas morreram nas nas instalações desde 2021.

As hipóteses sobre os reféns têm mudado ao longo do dia. Inicialmente, o órgão estatal responsável pelas prisões (Snai) afirmou que se tratava de uma retaliação pela “intervenção” das forças de segurança. Posteriormente, as autoridades indicaram que a retenção é um protesto contra a transferência de detentos para outras prisões.



Na manhã de quinta-feira, dois carros-bomba explodiram em menos de 12 horas na capital equatoriana. A ação, que não deixou feridos, pode estar ligada às operações de segurança do governo em prisões de todo país realizadas nesta semana.

Carros-bomba explodem em Quito, no Equador

Carros-bomba explodem em Quito, no Equador

Os carros-bomba explodiram em edifícios ligados ao Snai, um em uso e outro desativado. Seis suspeitos, cinco equatorianos e um colombiano, foram presos pelo primeiro ataque e outros quatro foram presos pela segunda explosão, disseram as autoridades.

“Há ações violentas como a dos dois carros queimados em Quito na noite passada, claramente isso é uma reação a uma ação. A ação de impor a ordem nas prisões, a reação para intimidar”, disse Guillermo Lasso, presidente do país.

O caso chocou o país e o mundo, e lançou luz ao grande aumento da violência no Equador, que nos últimos anos virou refúgio para grupos criminosos da Colômbia e rota do tráfico de drogas da América Latina.

A Polícia Nacional registou 3.568 mortes violentas nos primeiros seis meses deste ano, em comparação com as 2.042 registadas no mesmo período de 2022. O ano passado terminou com 4.600 mortes violentas, a taxa mais elevada da história do país e o dobro do total de 2021.

Atentado no Equador: Entenda o contexto político do país

Atentado no Equador: Entenda o contexto político do país




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

tenista-ucraniana-vence-russa-no-us-open,-e-adversarias-nao-se-cumprimentam

G1 Mundo

Tenista ucraniana vence russa no US Open, e adversárias não se cumprimentam

Elina Svitolina já havia se recusado a cumprimentar uma outra adversária russa. Elina Svitolina, da Ucrânia, em partida contra Anastasia Pavlyuchenkova, da Rússia, em 31 de agosto de 2023 — Foto: AP A tenista Elina Svitolina, da Ucrânia, derrotou a adversária Anastasia Pavlyuchenkova pela segunda rodada do US Open nesta quarta-feira (31) e, ao final da partida, as adversárias não se cumprimentaram. A ucraniana já havia se recusado a cumprimentar […]

today1 de setembro de 2023 9

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%