G1 Mundo

‘Acharam que era uma pegadinha de Halloween’, diz prefeito de cidade vizinha em que assassino matou 16 nos EUA

today27 de outubro de 2023 9

Fundo
share close

“Eles pensaram que era algum tipo de pegadinha de Halloween ou algo assim, os estalos iniciais, por assim dizer, até que tudo começou a aumentar muito rapidamente”, disse Jason Levesque ao programa “TODAY” da rede norte-americana NBC.

Levesque disse ainda que há muitas testemunhas na cidade de Auburn, na grande maioria relatando um cenário de confusão e caos.

“Descrença, na verdade, foi uma coisa comum que ouvi”, disse.



As autoridades ainda não divulgaram oficialmente o número de vítimas nem onde elas foram atingidas, no entanto, a agência de notícias norte-americana Associated Press diz que 16 pessoas morreram quando um homem de 40 anos abriu fogo contra as vítimas em uma pista de boliche e em um bar.

Os dois locais ficam a cerca de 6,5 km de distância um do outro.

'Corri para onde organiza os pinos e escalei a máquina', diz testemunha de ataque a tiros

‘Corri para onde organiza os pinos e escalei a máquina’, diz testemunha de ataque a tiros

Na pista de boliche, estava o morador da região que se apresentou apenas como Brandon (vídeo acima).

“Eu corri pela pista e fui para onde organiza os pinos. Escalei a máquina e fiquei lá por cerca de 10 minutos, até os policiais chegarem”, disse ele.

Brandon disse que estava calçando os tênis para jogar boliche quando ouviu cerca de 10 tiros, mas pensou se tratar de um balão.

“Eu estava de costas para a porta. E, assim que ouvi, me virei e vi que não era um balão”, falou.

Brandon, uma testemunha do ataque a uma pista de boliche em Maine, nos EUA — Foto: Associated Press

Ele contou ter ido ao local jogar boliche sozinho, mas não conseguiu nem calçar os tênis adequados.

“Eu tinha acabado de entrar no lugar. Estava calçando os sapatos pra jogar. Estou descalço há 5 horas”.

Imagem de arquivo mostra a pista de boliche do “Just-in-time Recreation”, local que foi alvo de um ataque a tiros em Lewiston, nos EUA — Foto: Reprodução/Facebook

O massacre pode se tornar o sexto mais mortal da história dos EUA, caso o número de 22 mortes seja confirmado, segundo levantamento do instituto Gun Violence Archive. O ataque mais violento aconteceu em Las Vegas, em 2017, quando 58 pessoas foram assassinadas e 441 ficaram feridas.

Desde o início de 2023, 565 tiroteios em massa foram registrados no país, provocando a morte de 595 pessoas. No mesmo período do ano passado, foram registradas 559 ocorrências com 545 mortes.

O presidente Joe Biden foi informado e continuará recebendo atualizações, disse uma autoridade dos EUA em Washington.

O presidente conversou por telefone individualmente com a governadora do Maine, Janet Mills, os senadores Angus King e Susan Collins e o congressista Jared Golden sobre o tiroteio em Lewiston e ofereceu total apoio federal após o ataque, disse a Casa Branca.

Maine não exige autorização para porte de armas

Com cerca de 38 mil habitantes, Lewiston faz parte do condado de Androscoggin e fica a cerca de 56 km ao norte da maior cidade do estado, Portland.

Maine tem baixos índices de criminalidade. Durante todo o ano de 2022, 29 homicídios foram registrados em todo o estado.

O estado não exige autorização para porte de armas, e tem uma cultura de longa data de posse de armas que está ligada às suas tradições de caça e tiro esportivo.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

mae-luta-para-reencontrar-filha-que-foi-passar-feriado-com-pai-no-litoral-de-sp-e-nao-retornou

G1 Santos

Mãe luta para reencontrar filha que foi passar feriado com pai no litoral de SP e não retornou

Uma mulher luta para reencontrar a filha após a menina de 8 anos ir passar o feriado de Dia das Crianças com o pai em Bertioga, no litoral de São Paulo, e não retornar. A auxiliar de cozinha Tatiane Aparecida Leda Lopes, de 31 anos, contou ao g1 que a guarda da menor Beatriz Aparecida Lopes de Souza é compartilhada, mas a Justiça determinou que a residência oficial dela é […]

today26 de outubro de 2023 19

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%