G1 Santos

Acordo é firmado após casos de injúria e assédio dentro de condomínio de luxo no litoral de SP

today12 de julho de 2023 10

Fundo
share close

A atual gestão do condomínio Residence Service Golden Beach, em Guarujá, no litoral de São Paulo, firmou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público do Trabalho (MPT-SP) com objetivo de garantir a segurança de moradores e funcionários do flat de luxo. Os profissionais denunciaram o antigo síndico, que foi afastado do cargo, por injúria racial e assédio moral.

As denuncias contra o síndico e a esposa dele chegaram ao MPT-SP por intermédio do Sindicato dos Empregados em Edifícios e Condomínios (Seeglag) que recebeu a queixa inicial de aproximadamente 30 funcionários do condomínio, que oferece aos moradores serviços semelhantes aos de hotéis.

Os profissionais vítimas de injúria e racismo gravaram algumas das ofensas e injúrias cometidas pelo homem que foi afastado. Em um dos áudios é possível ouvi-lo dizer a um funcionário:



“Meu nome não é osso pra tá na boca de cachorro […]. E não olha assim pra mim, que eu não tenho medo de cara feia”, veja o vídeo acima.

Condomínio alvo de denúncias fica em Guarujá (SP). — Foto: Reprodução/TV Tribuna

O TAC foi assinado na última segunda-feira (10) e dá segurança aos funcionários de que não passem novamente pelos mesmos problemas.

Ao g1, a advogada do residencial, Semíramis Regina Moreira de Carvalho Macedo, informou que o condomínio se responsabiliza para não ter mais práticas de assédio moral e nem atitudes racistas com as funcionárias.

Caso alguma prática seja constatada, o condomínio fica sujeito a multa de R$ 50 mil por cada trabalhador que for assediado. Além disso, o TAC ainda oferece garantia de trabalho para os funcionários que ficaram doentes após os episódios.

“Há uma cláusula no termo em que o condomínio reconhece o chamado nexo causal […]. O efeito prático disso é que essas pessoas, esses trabalhadores nomeados, são cinco, passaram a ter garantia de emprego por um ano a partir do momento em que retornarem ao trabalho”, enfatizou o procurador do MPT, Rodrigo Lestrade Pedroso, em entrevista à TV Tribuna, afiada da Rede Globo.

De acordo com Semíramis, o documento foi assinado pelo novo síndico, que é contra todas as atitudes praticadas pelo denunciado. Ele foi eleito em assembleia extraordinária no dia 3 de junho. “Foi para ele [novo síndico] que elas [funcionárias] pediram ajuda quando começaram acontecer as situações”, disse a advogada.

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

a-cadela-que-ajudou-dona-com-autismo-a-dar-a-luz

G1 Mundo

A cadela que ajudou dona com autismo a dar à luz

Da raça Staffordshire bull terrier, ela é uma cachorra de assistência, treinada para ajudar sua dona, Amee, que tem autismo e ansiedade. Quando ela detecta que a tutora está estressada ou sentindo dor, Belle se deita ao lado dela para lhe dar o apoio de que precisa. E quando Amee entrou em trabalho de parto, Belle estava com ela a cada passo do processo. Ela foi autorizada a ir para […]

today12 de julho de 2023 12

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%