G1 Mundo

Anistia Internacional diz que polícia do Peru perseguiu indígenas e camponeses durante repressão a protestos

today16 de fevereiro de 2023 13

Fundo
share close

A entidade afirma que a repressão do Estado é um exemplo de desprezo pela população indígena e camponesa.

De acordo com a Anistia Internacional, houve 12 casos documentados de mortes pelo uso de armas de fogo.

A entidade fez investigações entre 29 de janeiro e 11 de fevereiro. Nesse período, recebeu também informações sobre 46 casos de possíveis violações de direitos humanos. A Anistia também considera que a investigação do próprio governo do Peru não foi suficiente.



A investigação da Anistia Internacional ocorreu nas seguintes cidades:

  • Ayacucho;
  • Andahuaylas;
  • Chincheros;
  • Lima

Presidente do Peru pede trégua aos manifestantes

Presidente do Peru pede trégua aos manifestantes

“As autoridades do Peru permitiram um uso excessivo e mortal de força e que essa fosse a única reposta para mais de dois meses de clamor de milhares de comunidades que, hoje, exigem dignidade e um sistema político que garante os direitos humanos delas”, disse Erika Guevara-Rosas, diretora da Anistia Internacional para as Américas. Ela listou alguns números da repressão aos protestos:

  • 48 mortes por repressão do Estado;
  • 11 mortes por bloqueios rodoviários
  • 1 policial morto
  • Centenas de feridos

O Peru vive uma crise institucional. Em 2021, houve eleições presidenciais, e Pedro Castillo, um professor e sindicalista de uma região de camponeses do país foi eleito. Os peruanos mais pobres e de áreas rurais se identificam com Castillo.

Em 7 de dezembro de 2022, ele tentou dar um golpe de Estado: ele quis dissolver o Congresso sem motivo para isso, revogar a Constituição e governar por decreto. No mesmo dia, ele foi deposto e preso.

A vice-presidente, Dina Boluarte, assumiu o governo.

Os peruanos mais pobres, de origem indígena e que vivem nas zonas rurais começaram a protestar.

Boluarte, sexta pessoa a ocupar o cargo no Peru desde março de 2018, enfrenta protestos desde o segundo dia de seu mandato.

Nas manifestações, realizadas sobretudo no sul do país e em Lima, as pessoas pedem a renúncia de Boluarte, o fechamento do Congresso e a convocação de eleições gerais e uma Assembleia Constituinte.

Em dezembro, após as primeiras manifestações, a presidente pediu ao Congresso que aprovasse uma reforma legal para adiantar as eleições, atualmente prevista para 2026. A solicitação foi rejeitada cinco vezes pelos parlamentares.

Boluarte reiterou que não renunciará ao cargo. Se o fizesse, o presidente do Congresso seria obrigado a convocar eleições imediatas, de acordo com a Constituição.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

rodoviaria-de-santos-preve-aumento-de-mais-de-30%-no-fluxo-de-pessoas-durante-o-carnaval

G1 Santos

Rodoviária de Santos prevê aumento de mais de 30% no fluxo de pessoas durante o Carnaval

A Prefeitura de Santos, no litoral de São Paulo, divulgou nesta quinta-feira (16) que prevê um aumento de 30% no fluxo de pessoas na rodoviária do município durante o Carnaval. A estimativa foi feita em relação à média da primeira semana de fevereiro deste ano. A prefeitura pontuou, por meio de nota, que a Estação Rodoviária efetuou, no período, 1.407 partidas, embarcando 25.512 pessoas. Dessa maneira, a previsão é de […]

today16 de fevereiro de 2023 13

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%