G1 Mundo

Após anunciar fechamento parcial de fronteira, Biden vai regularizar milhares de imigrantes nos EUA

today18 de junho de 2024 9

Fundo
share close

A medida inclui cônjuges de cidadãos norte-americanos e pessoas formadas em universidades do país. Os chamado “dreamers” (sonhadores), estrangeiros que entraram no EUA ainda crianças e até hoje não tiveram sua situação regularizada, também serão beneficiados com a medida.

Estas mudanças beneficiarão aqueles que vivem “no país há pelo menos 10 anos e estão casados com um cidadão americano desde antes de 17 de junho de 2024”, informa a Casa Branca.

O governo estima que cerca de 500 mil migrantes, além de “cerca de 50 mil enteados de cidadãos americanos”, poderão se beneficiar das novas regras.



As autoridades analisarão todos os pedidos caso a caso. Os aprovados terão três anos para solicitar a residência permanente, período durante o qual poderão permanecer nos Estados Unidos e se qualificar para uma autorização de trabalho de até três anos.

Uma vez obtida a residência permanente, também conhecida como green card, o beneficiário pode solicitar a cidadania.

“O que estamos anunciando são processos potencialmente simplificados” para “minimizar a burocracia, minimizar as dificuldades criadas pela necessidade de sair do país”, explicou um funcionário que pediu anonimato aos jornalistas antes do anúncio.

A reforma de Biden também facilitará aos graduados dos centros de ensino superior americanos a obtenção de vistos de trabalho, desde que “tenham recebido uma oferta de emprego altamente qualificada”.

Migração, questão crítica

O anúncio do democrata acontece dias após o ‘Daca’ completar 12 anos. Este programa foi impulsionado pelo governo de Barack Obama quando Biden era seu vice-presidente e protege seus beneficiários, os “dreamers”, da deportação e permite que trabalhem.

Desde o lançamento do ‘Daca’, os Serviços de Cidadania e Imigração já aprovaram mais de 800 mil solicitações e têm cerca de 580 mil beneficiários, segundo dados oficiais.

A migração é um dos temas que mais preocupam os americanos antes das eleições de novembro, nas quais Biden tentará a reeleição contra o ex-presidente republicano Donald Trump, que durante o seu mandato quis acabar com o ‘Daca’, alegando que era inconstitucional.

Os republicanos acusam o presidente de não fazer o suficiente para controlar a imigração e uma parte do eleitorado pede que endureça a política do setor, mas a ala esquerda de seu partido e os defensores dos migrantes protestam cada vez que ele adota alguma medida mais severa.

Biden assinou este mês um decreto que restringe a entrada de migrantes através da fronteira com o México, que registrava uma média de mais de 2.500 travessias irregulares a cada sete dias.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

papa-critica-disseminacao-de-‘informacoes-nao-verificadas’-e-discursos-de-odio

G1 Mundo

Papa critica disseminação de ‘informações não verificadas’ e discursos de ódio

Em publicação, pontífice disse ainda que 'não se pode falar de Jesus sem alegria'. No fim de semana, ele também criticou uso excessivo da inteligência artificial. Papa faz reza do Angelus, na praça São Pedro, no Vaticano, em 17 de junho de 2024. — Foto: Vaticano via Reuters O papa Francisco criticou nesta terça-feira (17) a disseminação de "informações não verificadas" e discursos que usam o ódio. "Quando se misturam […]

today18 de junho de 2024 8

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%