G1 Mundo

As críticas a Biden por levar adiante planos do ‘muro de Trump’ na fronteira

today6 de outubro de 2023 7

Fundo
share close

A Casa Branca acaba de anunciar que construirá uma seção de cerca metálica de 32 quilômetros no sul do Texas, em um esforço para impedir a travessia do Rio Bravo (chamado de Rio Grande nos Estados Unidos).

A construção de um muro fronteiriço foi uma das políticas marcantes de Trump como presidente, à qual os democratas se opuseram duramente.

Em 2020, Biden prometeu que não construiria mais um metro de muro se fosse eleito.



O seu governo aprovou uma declaração depois de assumir o poder, afirmando que a construção de um muro ao longo da fronteira sul “não é uma solução política séria”.

Mas na noite de quarta-feira, fontes da Alfândega e Proteção de Fronteiras defenderam a nova expansão do muro, argumentando que estavam utilizando fundos já destinados para uma barreira fronteiriça.

“O Congresso destinou fundos do ano fiscal de 2019 para a construção da barreira fronteiriça no Vale do Rio Grande, e o DHS (Departamento de Segurança Interna) deve usar esses fundos para o propósito designado”, disseram à agência AP.

A medida gerou críticas, como as de ambientalistas que afirmam que o muro atravessará habitats de plantas e animais em perigo de extinção.

“É desanimador ver o presidente Biden descer a esse nível, deixando de lado as leis ambientais fundamentais do nosso país para construir muros fronteiriços ineficazes que matam a vida selvagem”, disse Laiken Jordahl, defensor da conservação no Centro para a Diversidade Biológica.

E construir o muro significa deixar de aplicar dezenas de leis federais, incluindo a Lei do Ar Limpo e a Lei da Água Potável Segura.

Na mesma área do Vale do Rio Grande, o governo do estado do Texas instalou bóias com pontas que um juiz federal ordenou a remoção no mês passado.

Autoridades registraram 245 mil travessias somente na área do Vale do Rio Grande — Foto: REUTERS

O número crescente de travessias pela fronteira por pessoas sem documentos colocou a questão no centro do debate em Washington.

As autoridades de imigração registraram 245 mil travessias somente na área do Vale do Rio Grande, no sul do Texas, neste ano. E é esperado que um novo recorde seja alcançado em setembro.

O secretário de Segurança Interna, Alejandro Mayorkas, falou da “necessidade aguda e imediata” de construir o novo trecho do muro e impedir a entrada de imigrantes ilegais.

O novo muro será composto por grandes postes embutidos em uma base de concreto, além de portões, câmeras e equipamentos de videovigilância.

O DHS disse que usaria os fundos obtidos durante a presidência de Donald Trump para construir a nova seção.

A questão da imigração está na agenda de uma reunião desta quinta-feira (5/10) entre o secretário de Estado americano, Anthony Blinken, e o presidente do México, Andrés Manuel López-Obrador, na Cidade do México.

Milhares de imigrantes chegaram à fronteira em busca de asilo nos Estados Unidos — Foto: REUTERS

Essa é a primeira vez que a administração Biden usa os seus poderes para aprovar a construção de novos trechos do muro fronteiriço, algo que Trump promoveu ao longo da sua administração (2017-2021).

O Republicano aprovou a construção de cerca de 80 km de novas vedações, bem como a renovação de quase 650 km de barreiras existentes.

Após o anúncio da nova expansão no sul do Texas, Trump culpou Biden por causar a crise de imigração ao revogar as rígidas políticas de fronteira que implementou durante sua administração.

“Ele tem que fazer todas as [outras] coisas que estávamos fazendo”, disse ele à Fox News.

O presidente mexicano condenou a medida. “Essa autorização para a construção do muro é um retrocesso. Porque isso não resolve o problema. Devemos abordar as causas”, disse nesta quinta-feira.

O congressista democrata Henry Cuellar, de um distrito fronteiriço do Texas, disse em suas redes sociais que “um muro fronteiriço é uma solução do século 14 para um problema do século 21”.

“Continuo a me opor ao desperdício do dinheiro dos contribuintes num muro fronteiriço ineficaz”, acrescentou.

Além das críticas aos possíveis danos ao meio ambiente, outros analistas lembraram a antiga promessa de Trump: “Bem, o México não pagou pelo muro, mas Biden pagou”, tuitou Matt Stoller, diretor de pesquisa do American Economic Liberties Project (Projeto Americano de Liberdades Econômicas).

Várias cidades americanas alertaram que enfrentam graves problemas devido ao fluxo de migrantes.

O presidente da Câmara de Nova Iorque, Eric Adams, previu que o custo da habitação para os mais de 100 mil recém-chegados desde o ano passado aumentará para 12 mil milhões de dólares nos próximos três anos.

Adams viajará para o México, Colômbia e Equador esta semana para desencorajar a chegada de migrantes lá. “Estamos no limite da nossa capacidade”, disse ele na terça-feira (3/10).




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

ministerio-publico-da-venezuela-emite-mandado-de-prisao-contra-opositor-juan-guaido

G1 Mundo

Ministério Público da Venezuela emite mandado de prisão contra opositor Juan Guaidó

De acordo com o procurador, o órgão vai pedir que a Interpol emita um alerta vermelho para a captura de Guaidó. A solicitação será baseada em investigações de um tribunal dos Estados Unidos. O MP da Venezuela afirma que a Corte dos Estados Unidos apurou que Guaidó usou recursos da PDVSA — estatal de produção de petróleo — para pagar despesas pessoais, além de obrigar a empresa a aceitar condições […]

today6 de outubro de 2023 7

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%