G1 Mundo

As polêmicas por trás do Koo, rede social indiana que viralizou no Brasil

today19 de novembro de 2022 51

Fundo
share close

As incertezas em torno do Twitter de Elon Musk fizeram com que brasileiros procurassem uma alternativa: o Koo (isso mesmo, Koo). Mas a rede social indiana está cercada de polêmicas em seu país. A plataforma surgiu em um momento tenso e, atualmente, é acusada de promover campanhas do governo e de ser tímida no combate ao discurso de ódio.

Lançado em março de 2020, o Koo ganhou popularidade na Índia em 2021, em meio a uma batalha de gigantes: o governo indiano e o Twitter.

O primeiro-ministro indiano Narendra Modi solicitou que o Twitter bloqueasse contas de agricultures contrários às medidas do governo. Segundo a “BBC” a rede do passarinho azul atendeu Modi, mas voltou atrás citando “justificativa insuficiente”.



O embate entre Twitter e Modi continuou e o governo ameaçou processar os funcionários da empresa na Índia. O caso ganhou ainda mais tensão quando as empresas de tecnologia alegaram que uma nova lei local, que exigia que apps identifiquem a pessoa que originou determinado conteúdo, iria afetar a liberdade de expressão e a privacidade de usuários.

O primeiro-ministro indiano Narendra Modi — Foto: Reuters via BBC

Insatisfeitos com as medidas do Twitter, integrantes do governo Modi e celebridades de extrema-direita migraram em peso para o Koo e, com eles, outros milhões de seguidores indianos, lembra o jornal “The Washington Post”.

“Chegamos aos holofotes devido à tensão do Twitter com o governo, mas os usuários logo notaram que podem se expressas em sua língua materna apenas na nossa rede”, disse o cofundador do Koo Aprameya Radhakrishna, em 2021, numa entrevista à “Bloomberg”.

A divisão religiosa no país, muitas vezes cercada por tensão, ampliou o discurso de ódio no Koo, mas também em outras redes, como o Facebook. O Koo é acusado de promover propagandas do governo e de não combater eficientemente o discurso de ódio contra muçulmanos.

“Somos uma plataforma neutra e você não precisa se preocupar com nada disso que você falou. Use-o como se fosse seu”, disse o cofundador do Koo Mayank Bidawatka em resposta a um seguidor que apontava as polêmicas da empresa.

Assim como o Twitter, o Koo permite compartilhar textos, fotos e vídeo, e tem o “Trending Hashtags”, que exibe os principais assuntos do dia. Por enquanto, apesar da popularidade no Brasil, app não está disponível em português.

Segundo os desenvolvedores, a empresa tem 200 funcionários, mais de 50 milhões de downloads e mais de 7 mil personalidades, entre políticos e celebridades.

Várias personalidades do Brasil já criaram perfil no Koo: o ator e comediante Paulo Vieira, a cantora Clarice Falcão, o influenciador Casimiro e o ator Bruno Gagliasso são alguns nomes que já estão por lá.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

G1 Mundo

Jóqueis robôs controlam animais em corrida de camelos, paixão nacional no país-sede da Copa do Mundo

Assim que se chega a Al-Shahaniyah, a cerca de 40 km de Doha, dezenas de animais são conduzidos por cuidadores ou descansam na areia à espera de um treino ou uma prova. Nos inúmeros estábulos no entorno da pista, eles recebem tratamento especial, assim como os cavalos no turfe. Nasser, de 29 anos, era um dos muitos presentes, acompanhando atentamente o movimento dentro de seu carro. Com seu tradicional traje branco, o Thawb, ele não quis aparecer em fotos, apesar […]

today19 de novembro de 2022 39

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%