G1 Mundo

Ativista Ahed Tamimi, símbolo da resistência palestina, é detida por incitação ao terrorismo

today6 de novembro de 2023 2

Fundo
share close

A palestina Ahed Tamimi, de 22 anos, foi detida em sua cidade natal de Nabi Saleh por “incitação ao terrorismo”, anunciou o Exército israelense. Ela ficou conhecida por lutar contra a ocupação israelense da Cisjordânia.

“Ahed Tamimi, suspeita de incitar a violência e atividades terroristas, foi detida na cidade de Nabi Saleh, (perto de Ramallah, na Cisjordânia)”, afirmou um porta-voz militar nesta segunda-feira (6). “Ela foi transferida para as forças de segurança israelenses para ser interrogada”.

A ativista foi detida durante uma operação do Exército israelense “que tinha o objetivo de deter a indivíduos suspeitos de participar em atividades terroristas e incitar o ódio” no norte da Cisjordânia, declarou o porta-voz.



Questionada sobre a detenção da jovem, uma fonte dos serviços de segurança enviou à AFP uma publicação no Instagram, que circulou nas redes sociais e foi atribuída a Tamimi.

A suposta publicação pedia o massacre de israelenses em “todas as cidades da Cisjordânia, Hebron e Jenin”, declarou o Exército à AFP. O texto detalhava explicitamente as formas violentas que o massacre deveria acontecer.

A mãe da ativista negou que a filha tenha escrito a mensagem.

“Eles a acusam de ter publicado uma mensagem que incitando a violência, mas Ahed não a escreveu”, declarou à AFP. “Há dezenas de contas com a foto de Ahed, mas com as quais ela não têm qualquer vínculo. Quando Ahed tenta abrir uma conta nas redes sociais, ela é bloqueada imediatamente”.

A AFP não conseguiu verificar se a conta pertencia à ativista.

Ahed Tamimi, que nasceu em 31 de janeiro de 2001, ficou famosa aos 14 anos quando foi filmada no momento em que mordeu um soldado israelense para impedir a detenção de seu irmão mais novo.

Em dezembro de 2017, aos 16 anos, ela deu um tapa em um soldado israelense no quintal de sua casa.

Em 19 de dezembro de 2017, a jovem foi detida pelos militares e depois condenada a oito meses de prisão. Tamimi foi liberada em 29 de julho de 2018.

Desde então, ela se tornou um símbolo mundial da causa palestina e é considerada pelos palestinos um exemplo de coragem diante da repressão israelense nos territórios ocupados.

Artista pinta mural com o rosto de Ahed Tamimi no muro de separação de Israel em Bethlehem, na Cisjordânia, no dia 25 de julho — Foto: AP Photo/Nasser Nasser




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

com-‘risco-milei’-no-radar,-brasil-fara-cupula-do-mercosul-antes-da-sucessao-presidencial-na-argentina

G1 Mundo

Com ‘risco Milei’ no radar, Brasil fará cúpula do Mercosul antes da sucessão presidencial na Argentina

O Brasil marcou para o dia 7 de dezembro, no Rio de Janeiro, a cúpula com os presidentes dos países do Mercosul – Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai. A data foi escolhida pelo governo brasileiro, que ocupa a presidência pro-tempore do bloco. Segundo diplomatas ouvidos pela GloboNews, além de questões logísticas, há uma motivação política: garantir que o compromisso aconteça antes de 10 de dezembro, quando toma posse o novo […]

today6 de novembro de 2023 5

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%