G1 Mundo

Austrália rejeita referendo para a criação de um comitê de defesa aos indígenas no Parlamento

today14 de outubro de 2023 7

Fundo
share close

A votação pública precisava de maioria simples em 4 dos 6 principais estados e no número total de votos no país, mas não conseguiu nenhum dos requisitos.

Na Austrália os indígenas são uma minoria étnica e representam cerca de 3,8% da população total do país. Eles habitam o local há cerca de 60 mil anos, mas não são mencionados na constituição e são, segundo a maioria das medidas socioeconômicas, as pessoas mais desfavorecidas do país.

Além disso, em média, os indígenas australianos morrem cerca de 8 anos antes do que a população em geral e têm uma taxa de suicídio duas vezes mais alta do que o restante do país.



Pessoa conta votos em referendo australiano para a criação de um comitê de defesa para a população indígena do país em 14 de outubro de 2023 — Foto: AAP Image/Con Chronis via REUTERS

O “The Voice”, como foi chamado, buscava ser o primeiro referendo aprovado desde 1977 e o primeiro a ser aprovado sem o apoio bipartidário dos principais partidos políticos.

A defensora do pedido, Tanya Hosch, que passou uma década desenvolvendo o modelo que seria adotado no Parlamento, disse à ABC: “Pessoalmente, me sinto arrasada”.

“Haverá muita dor, sofrimento e consternação e precisaremos de um momento para absorver essa mensagem e o que ela diz pra nós”, disse Hosch.

Outro defensor, Tom Mayo, disse que também estava “arrasado” e culpou os ataques injustos ao plano de dar voz à população indígena.

“Vimos uma campanha repugnante de ‘não’. Uma campanha que foi desonesta, que mentiu ao povo australiano”, disse Mayo.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

“meu-deus,-eles-estao-aqui”:-o-massacre-do-hamas-capturado-em-um-grupo-de-whatsapp-de-maes-de-israel

G1 Mundo

“Meu deus, eles estão aqui”: o massacre do Hamas capturado em um grupo de WhatsApp de mães de Israel

Pouco depois do nascer do sol, na manhã de sábado, 7 de outubro, surge uma mensagem nos 200 telefones celulares do grupo de WhatsApp das mães do kibbutz Be'eri. Minutos depois, chega outra mensagem: "Temos um terrorista na escada. Chamem alguém." Combatentes do Hamas haviam dado início ao que seria um dia inteiro de angústia naquele kibbutz (comunidade coletiva) no sul de Israel. As mulheres do grupo passariam as 20 […]

today14 de outubro de 2023 4

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%