G1 Mundo

Biden diz que seguirá na disputa pelas eleições: ‘Ninguém vai me tirar’

today3 de julho de 2024 4

Fundo
share close

“Eu estou concorrendo. Eu sou o líder do Partido Democrata. Ninguém vai me forçar a sair”, disse Biden, de acordo com um assessor seu.

Segundo a Associated Press, a fala do presidente ocorreu em aparição surpresa em chamada virtual do Comitê Nacional Democrata na tarde desta quarta. Fontes disseram que a conversa foi em tom de união. De acordo com o “The New York Times”, Biden afirmou: “Estou nesta corrida até o fim”. Então, foi defendido pela vice-presidente, Kamala Harris: “Não vamos recuar. Seguiremos a liderança do nosso presidente. Vamos lutar e vamos vencer”, disse Harris.

Biden fez uma reunião com 24 governadores democratas na noite desta quarta e teve uma conversa franca e transparente com eles. Após a conversa, que durou mais de uma hora, os governadores demonstraram confiança e declararam apoio ao presidente.



A Casa Branca também afirmou que o presidente “não está pensando em desistir”. Questionada em uma entrevista à imprensa na Casa Branca sobre se o presidente estava considerando a possibilidade de abandonar a corrida eleitoral, a porta-voz do governo Biden, Karine Jean-Pierre, respondeu: “Absolutamente, não!”.

Segundo fontes próximas a Biden ouvidas pelo jornal, o presidente tem dúvidas sobre se poderá se reerguer após o desempenho ruim no primeiro debate eleitoral contra o candidato republicano, o ex-presidente Donald Trump, na semana passada. Biden disse que quase adormeceu durante o enfrentamento. (Leia mais abaixo)

Foi a primeira vez que fontes próximas ao candidato democrata revelam dúvidas por parte de Joe Biden sobre seguir ou não com sua candidatura.

Desde o debate, membros do Partido Democrata têm pressionado para que a sigla susbtitua Biden por outro candidato, segundo a imprensa dos EUA — pelas normas do partido, o próprio candidato deve retirar sua candidatura.

No entanto, Biden tem indicado que não desistirá da corrida à Casa Branca, embora já tenha admitido não ter ido bem no debate.

Os aliados do presidente ouvidos pelo The New York Times disseram também que Biden continua fortemente empenhado em tentar a reeleição, ainda segundo o jornal, mas sabe que pode ser difícil se recuperar após o debate.

Segundo outra reportagem, da agência de notícias Bloomberg, também publicada nesta quarta-feira, um grupo de deputados do Partido Democrata está considerando fazer uma carta conjunta pedindo que Biden desista da disputa. O presidente terá uma reunião nesta tarde com deputados democratas em Washington.

A sondagem, que ouviu 1.070 pessoas em todo os EUA durante dois dias após o debate, também mostrou que a ex-primeira-dama Michelle Obama seria a única a vencer Donald Trump em um hipotético confronto, entre os nomes levantados para substituir Biden como candidato democrata.

Na tarde desta quarta, o presidente dos EUA se reunirá em Washington com uma série de deputados e governadores do Partido Democrata.

Na noite de terça-feira, Biden atribuiu ao jet lag — como é chamado o distúrbio que costuma acometer quem faz viagens longas com diferenças de fuso horário — o mau desempenho no debate.

Dias antes do enfrentar Trump diante das câmaras, o presidente havia feito duas viagens internacionais, para a França e para a Itália. Em um evento de campanha no estado da Virgínia, ele disse que ignorou apelos de sua equipe para que evitasse viagens e, como consequência, “quase adormeceu no palco” do debate.

“Decidi viajar pelo mundo algumas vezes, passando por cerca de cem fusos horários antes do debate”, disse o presidente dos EUA. “Não dei ouvidos à minha equipe e voltei e quase adormeci no palco. Isso não é desculpa, mas é uma explicação”.

Veja os democratas que podem substituir Biden na corrida eleitoral nos EUA

Veja os democratas que podem substituir Biden na corrida eleitoral nos EUA

Com voz rouca —atribuída a um resfriado—, pouco entusiasmo e hesitante, Biden, de 81 anos, perdeu o debate da semana passada para Donald Trump, de 78 anos, apontam quase todos os analistas políticos e o próprio Partido Democrata.

Trump, candidato do Partido Republicano à Casa Branca, despejou uma série de mentiras com calma e de forma assertiva, sem ser corrigido por Biden, que se confundiu algumas vezes e se mostrou pouco reativo na maioria delas.

O criticado desempenho fez crescer uma questão de se é possível substituí-lo como candidato do Partido Democrata à presidência?

As eleições dos EUA acontecem em 5 de novembro. A convenção dos democratas, que vai confirmar Biden como candidato à reeleição, será entre 19 de agosto e 22 de agosto —daqui a menos de dois meses.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

passageiros-passam-mal-com-comida-estragada-a-bordo,-e-aviao-com-277-passageiros-desvia-para-nova-york

G1 Mundo

Passageiros passam mal com comida estragada a bordo, e avião com 277 passageiros desvia para Nova York

Equipes de emergência médica atenderam o voo e trataram 12 passageiros, disse o Corpo de Bombeiros de Nova York. Reprodução do voo — Foto: Reprodução/FlightAware Um voo da Delta teve que fazer um pouso não programado nesta quarta-feira em Nova York, nos Estados Unidos, depois que os passageiros receberam comida estragada a bordo, informou a companhia aérea. A aeronave, um Airbus A330, decolou de Detroit por volta das 23h de […]

today3 de julho de 2024 7

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%