Tocando:

Rádio 97Web

Caminhoneiros autônomos do Porto de Santos fazem paralisação por 24 horas para pedir vacinas contra a Covid-19

Escrito por em 10 de junho de 2021

Os caminhoneiros autônomos que atuam no Porto de Santos, no litoral de São Paulo, anunciaram uma paralisação por 24 horas para reivindicar a vacinação contra a Covid-19 da categoria. O movimento começou nesta quinta-feira (10) e segue até a na manhã de sexta (11), segundo os caminhoneiros.

O presidente do Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens da Baixada Santista e Vale do Ribeira (Sindicam), Leonardo Santos de Carvalho, explica que se trata de uma paralisação de advertência porque dura 24 horas e tem o objetivo chamar a atenção dos governos municipal, estadual e federal, para a destinação de doses do imunizante para a categoria.

“Se não tivermos uma reposta oficial sobre o assunto, vamos paralisar por tempo indeterminado em breve”, disse. Segundo ele, cerca de 1.500 caminhoneiros autônomos aderiram a paralisação na Baixada Santista. Os caminhoneiros autônomos gerenciam o seu caminhão e todo o processo de transporte, como pegar a mercadoria, transportar e entregar nos terminais portuários.

Caminhoneiros autônomos realizaram ato de manifestação por vacinas contra a Covid-19 — Foto: G1 Santos

Carvalho explica que os próprios trabalhadores pediram apoio do sindicato para realizar a paralisação. Um grupo de cerca de 30 pessoas se reuniu, durante a manhã, em frente à sede do Sindicato, com faixas, pedindo pelas vacinas. Devido à pandemia, para evitar aglomerações, foi recomendado que os caminhoneiros permanecessem em suas residências durante a paralisação.

Os caminhoneiros se reuniram em frente à Brasil Terminal Portuário, na Rua Augusto Barata e fizeram uma pequena passeata, por volta de 10h, até a descida do Viaduto Paulo Bonavides, passando pela Avenida Augusto Barata, na região do Porto Alemoa. Em seguida, eles fizeram o caminho de volta e voltaram a se reunir em frente ao terminal.

Em Guarujá, os caminhonheiros transitaram pela a região portuária e concentraram a manifestação na avenida Santos Dummont com a rua do Adubo, bloqueando parte da via. Segundo a prefeitura, há trânsito lento devido ao protesto. Já os cruzamentos na avenida Santos Dumont e Mário Daige estão com trânsito normal. A Diretoria de Trânsito e Transporte Público (Ditran) está organizando o fluxo.

O G1 entrou em contato com o Sindicato dos Operadores Portuários do Estado de São Paulo (Sopesp), mas o órgão diz que não foi notificado oficialmente sobre a paralisação dos caminhoneiros.

Por meio de nota, a Santos Port Authority (SPA), a autoridade portuária de Santos, informou que participou nesta quarta-feira (9) de reunião com representantes dos caminhoneiros autônomos da Baixada Santista, das Prefeituras de Santos e Guarujá e do Sindicato dos Operadores Portuários do Estado de São Paulo (Sopesp).

“A SPA se solidariza com a demanda e se comprometeu a auxiliar a categoria, levando ao Ministério da Infraestrutura o pleito de repriorização da mesma no Programa Nacional de Imunização (PNI)”, informou.

Segundo a SPA, quanto aos efeitos da paralisação de advertência ocorrida hoje (10), até o momento, não foram registrados quaisquer problemas ou manifestações dentro da área do Porto Organizado de Santos, seguindo o fluxo de veículos dentro da normalidade. Verificou-se a interrupção nas operações em 5 embarcações atracadas na margem direita do Porto de Santos que dependem de descarga direta dos caminhões.

Caminhoneiros autônomos paralisaram serviços por 24 horas no Porto de Santos, SP — Foto: Arquivo pessoal/Luciano Santos de Carvalho

A Secretaria de Saúde de Santos (SMS) disse que a ampliação dos públicos-alvo da campanha de vacinação contra a Covid-19 é uma prerrogativa do Governo do Estado de São Paulo, que encaminha as doses ao município de acordo com o público por ele estimado.

Porém, solidária ao pleito dos caminhoneiros autônomos, a SMS já encaminhou ao governo estadual o ofício enviado pelo Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários Autônomos de Bens da Baixada Santista solicitando a vacinação a esta categoria profissional.

VÍDEOS: as notícias mais vistas do G1




Opinião dos visitantes

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *