G1 Mundo

Com temperatura de mais de 50ºC, peregrinação a Meca tem mais de 1.000 mortos por calor

today20 de junho de 2024 8

Fundo
share close

No total, 1.081 pessoas de quase dez países morreram desde o início da peregrinação, que começou na semana passada com temperaturas que já passaram dos 50ºC.

Meca é a principal cidade sagrada do Islã e um dos cinco pilares do islamismo. Apenas os muçulmanos podem entrar na cidade, e, durante o período de peregrinação, o governo saudita distribui vistos para estrangeiros, com base em um sistema de cotas (leia mais abaixo).

No entanto, entre as vítimas, mais 630 estavam em situação irregular no país, ainda de acordo com o balanço da AFP com base nos registros das autoridades locais e comunicados de embaixadas dos países afetados.



Neste ano, o período de peregrinação anual, determinada pelo calendário lunar islâmico, acontece em meio a uma onda de calor e no início do verão no Hemisfério Norte, que costuma ser bastante intenso na Arábia Saudita.

O centro nacional meteorológico informou esta semana que o termômetro chegou a atingir a temperatura de 51,8ºC na Grande Mesquita de Meca.

Na quarta-feira, o governo egípcio já havia divulgado que mais de 600 cidadãos do Egito haviam morto durante o hajj deste ano. O balanço feito pela AFP inclui mais 58 peregrinos do Egito.

Além do Egito, também morreram peregrinos da Malásia, Paquistão, Índia, Jordânia, Indonésia, Irã, Senegal, Tunísia e do Curdistão iraquiano.

Multidão caminha em Mina, bairro de Meca, durante peregrinação anual, em 17 de junho de 2024. — Foto: Rafiq Maqbool/AP

A Arábia Saudita tem um sistema de cotas de peregrinos por país, mas todos os anos milhares de pessoas viajam ao país por canais irregulares, porque não têm dinheiro suficiente para pagar os custos dos trâmites oficiais.

Estas pessoas são mais vulneráveis ao calor extremo, porque, sem documentos oficiais, não podem ter acesso aos espaços com ar-condicionado disponibilizados pelas autoridades sauditas, que este ano receberam 1,8 milhão de peregrinos autorizados.

“As pessoas estavam exaustas”, disse nesta quinta-feira à AFP um diplomata, ao comentar um dos dias da peregrinação, quando os fiéis passaram o dia ao ar livre para a subida ao Monte Arafat, uma colina próxima de Meca onde, segundo o Islã Maomé pronunciou o último sermão.

Segundo o diplomata, a principal causa de morte entre os peregrinos egípcios foi o calor, que provocou graves problemas de saúde.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

nova-lei-na-louisiana-exige-que-todas-as-salas-de-aulas-tenham-cartazes-com-os-dez-mandamentos

G1 Mundo

Nova lei na Louisiana exige que todas as salas de aulas tenham cartazes com os Dez Mandamentos

O governador republicano da Louisiana, Jeff Landry, promulgou nesta quarta (19) uma lei exigindo que todas as salas de aulas de escolas públicas do estado tenham cartazes com os Dez Mandamentos afixados. A medida provocou uma reação imediata de diversas entidades civis em defesa do Estado laico, que prometem levar o caso à Suprema Corte dos EUA. A resolução sancionada exige uma exibição dos Dez Mandamentos em tamanho de pôster […]

today20 de junho de 2024 3

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%