G1 Mundo

Compra de submarinos dos EUA pode ter consequência fatal para Austrália, diz ex-premiê australiano

today16 de março de 2023 14

Fundo
share close

No domingo (12), Estados Unidos, Austrália e Reino Unido anunciaram uma parceria para aumentar a presença militar do Ocidente na região da Ásia-Pacífico – que engloba parte do Sudeste Asiático, da Ásia, do sul da Ásia e da Oceania. A intenção é fazer frente à expansão militar recente da China.

Keating, que comandou a Austrália entre 1991 e 1996, criticou a parceria, que chamou de desnecessária.

“A história vai julgar este projeto no fim, mas quero meu nome claramente registrado entre aqueles que dizem que é um grande erro”, afirmou Keating em um comunicado.



Pela parceria, a Austrália comprará cinco submarinos de propulsão nuclear dos EUA, além de desenvolver um plano de 30 anos para construir sua própria frota desses veículos.

No comunicado, Keating acusou o atual governo australiano de seguir os Estados Unidos e os Reino Unido “sem pensar”. Ele argumentou ainda não haver provas de que a China seja uma ameaça militar concreta.

“Qual seria o sentido de a China querer ocupar Sydney e Melbourne? Militarmente?”, questionou. “A pergunta é tão idiota que nem sequer merece uma resposta”.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden (ao centro), recebe em base naval na Califórnia os primeiro-ministros da Austrália, Anthony Albanese (à esq.), e do Reino Unido, Rishi Sunak (à dir.), durante evento para anunciar parceria para fortalecer a presença do Ocidente nas regiões da Ásia e Oceania, em 13 de março de 2023. — Foto: Denis Poroy/ AP Photo

Keating afirmou que a Austrália está em uma “viagem perigosa e desnecessária” a pedido dos Estados Unidos, o que pode ter “consequências fatais” caso o país entre em conflitos. O plano também revoltou parte dos australianos, que alegaram gastos desnecessários para o país.

O governo não havia respondido aos comentários de Keating até a última atualização desta notícia.

Embora a Austrália tenha descartado o uso de armas atômicas, seu plano de submarinos representa um novo cenário no confronto com a China, que busca fortalecer sua frota naval.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

embaixador-russo-pede-aos-eua-fim-dos-voos-‘hostis’-apos-interceptacao-de-drone

G1 Mundo

Embaixador russo pede aos EUA fim dos voos ‘hostis’ após interceptação de drone

Anatoni Antonov pediu para que os EUA parem de realizar atividades perto das fronteiras russas. Anatoly Antonov, embaixador russo nos EUA, na tarde de 14 de março de 2023 — Foto: Patrick Semansky/AP O embaixador da Rússia nos Estados Unidos, Anatoly Antonov, pediu nesta quarta-feira (15) a Washington o fim dos voos "hostis" perto das fronteiras russas, depois que um drone americano foi interceptado na terça-feira por caças de Moscou […]

today16 de março de 2023 9

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%