G1 Mundo

Conflito Israel-Hamas: o que se sabe sobre os reféns israelenses tomados pelo grupo islâmico palestino

today7 de outubro de 2023 11

Fundo
share close

Alguns deles, acredita-se, estão sendo mantidos em pequenas cidades próximas à Faixa de Gaza. Outros foram levados de volta para Gaza.

O porta-voz do exército israelense confirmou que há reféns nas comunidades de Ofakim e Be’eri, onde as forças especiais estão envolvidas.

O Hamas afirma ter capturado 53 “prisioneiros de guerra” – e que estes foram “colocados em locais seguros e em túneis”.



O grupo não fornece detalhes sobre onde estão esses “locais seguros” ou túneis, e se estão de volta em Gaza ou em Israel.

O braço armado do Hamas, as Brigadas Izz ad-Din al-Qassam, seguram uma bandeira palestina enquanto destroem um tanque das forças israelenses em Gaza — Foto: Getty Images/Via BBC

O vice-chefe do escritório político do Hamas, Saleh al-Arouri, afirmou que “oficiais de alto escalão” do exército de Israel foram capturados.

Ele disse ao canal árabe da Al Jazeera que “o que está em nossas mãos libertará todos os prisioneiros” em Israel – uma referência aparente aos palestinos detidos nas prisões israelenses.

“Há muitos palestinos mortos e muitos israelenses mortos, além de prisioneiros, e a batalha ainda está em seu auge”, disse ele.

Arouri afirmou que o Hamas está pronto para enfrentar uma incursão terrestre israelense em Gaza, que ele descreveu como “o melhor cenário para resolver o conflito contra o inimigo”.

Nenhuma dessas alegações pode ser verificada de forma independente pela BBC neste momento, e as autoridades israelenses não comentaram os múltiplos relatos de sequestro.

Autoridades israelenses negam relatos de que um general major das Forças de Defesa de Israel (IDF) esteja entre os sequestrados.

Sequestros por grupos militantes palestinos

Israel declara guerra após ataque do Hamas; entenda

Israel declara guerra após ataque do Hamas; entenda

No passado, grupos palestinos usaram reféns como moeda de troca para garantir a libertação de militantes detidos por Israel.

Israel conseguiu a libertação de seu soldado Gilad Shalit ao libertar mais de mil prisioneiros palestinos em 2011. Cerca de 200 deles estavam cumprindo penas de prisão perpétua por preparar ou realizar ataques dentro de Israel.

De acordo com o último relatório da B’Tselem, grupo israelense de direitos humanos, havia 4.499 palestinos na prisão por motivos que Israel definia como “segurança” em junho.

Esse número incluía 183 da Faixa de Gaza. Centenas deles estão detidos por estarem ilegalmente dentro de Israel.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

casal-de-paraibanos-deixa-israel-apos-ataque-do-hamas-e-inicio-de-guerra:-‘momentos-tensos’

G1 Mundo

Casal de paraibanos deixa Israel após ataque do Hamas e início de guerra: ‘Momentos tensos’

Ao g1, Zenildo informou que o casal estava há cerca de sete dias em Israel, quando, por volta das 6h (horário de Jerusalém), foram acordados por sirenes de alarme de guerra na cidade de Jerusalém, onde estavam hospedados em um hotel da cidade. Os alarmes tocaram por cerca de duas horas seguidas, e, durante esse tempo, o casal tentava sair da cidade para voltar ao Brasil. “Fomos acordados hoje às […]

today7 de outubro de 2023 18

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%