G1 Mundo

Consulado de Israel em SP exibe imagens chocantes de ataque do Hamas

today5 de novembro de 2023 8

Fundo
share close

Durante cerca de 40 minutos, o auxiliar de defesa da Embaixada de Israel no Brasil, coronel Semion Gamburg, reproduziu um vídeo com cenas chocantes do episódio, registradas pelas próprias vítimas, por câmeras de segurança e por celulares e câmeras corporais portadas por integrantes do Hamas.

Segundo o consulado, as imagens foram obtidas pelo Exército israelense, que verificou a autenticidade do material.

Terrorista do Hamas em ataque a Israel, em 7 de outubro — Foto: Divulgação/Consulado de Israel em SP



Em respeito às vítimas e suas famílias, a exibição do vídeo ficou restrita aos profissionais e membros da comunidade.

Uma das cenas mais impactantes mostra o desespero de um pai que tentava fugir de casa com dois filhos pequenos, no kibutz de Be’eri, localizado na fronteira com Gaza. Ele tenta se esconder em um abrigo antiaéreo, mas morre ao ser atingido por uma granada lançada pelos terroristas.

Os meninos, muito feridos, são levados sob a mira de um fuzil até a cozinha. Enquanto um integrante do Hamas vasculha a geladeira, uma das crianças diz: “Por que estou vivo?”

Outro trecho traz um áudio em que um terrorista usa o celular de uma vítima israelense para falar com os pais em Gaza. Ele grita em tom de comemoração: “Matei dez judeus com minhas próprias mãos!”

Na entrevista coletiva, o cônsul-geral de Israel em São Paulo, Rafael Erdreich, acusou países da região de incentivar o terrorismo do Hamas e disse que uma das estratégias do grupo é divulgar informações falsas para influenciar a comunidade internacional.

Uma versão encurtada do material apresentado foi divulgada pelo consulado no início desta tarde. Devido à gravidade das cenas, o g1 optou por divulgar apenas trechos que demonstrem o terror vivido em Israel naquele sábado.

Terroristas do Hamas em ataque a Israel, em 7 de outubro — Foto: Divulgação/Consulado de Israel em SP

Os invasores atiraram em pessoas que estavam nas ruas e sequestraram centenas, incluindo mulheres e crianças, que foram levados como reféns para Gaza.

Diante da ofensiva do Hamas, o governo israelense iniciou uma retaliação. “Estamos em guerra e vamos ganhar”, disse o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, logo após o ataque. “O nosso inimigo pagará um preço que nunca conheceu.” Ainda em 7 de outubro, Israel lançou bombas em direção à Faixa de Gaza.

Do dia 7 até esta quarta-feira (1º), 8,8 mil palestinos morreram, de acordo com o Hamas, número que não pode ser verificado de forma independente, e 1,4 mil pessoas foram mortas em Israel.

Acompanhe a cobertura completa aqui.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

paises-e-autoridades-condenam-bombardeio-israelense-em-maior-campo-de-refugiados-de-gaza;-israel-informou-que-matou-terrorista

G1 Mundo

Países e autoridades condenam bombardeio israelense em maior campo de refugiados de Gaza; Israel informou que matou terrorista

O bombardeio deixou 50 mortos e mais de 100 feridos, segundo o Ministério da Saúde de Gaza, que é comandado pelo grupo terrorista Hamas, e não foi confirmado de forma independente. O Ministério da Defesa de Israel informou que a investida matou "muitos terroristas do Hamas", inclusive Ebrahim Biari, que comandava um batalhão do Hamas e que foi um dos líderes do ataque terrorista do dia 7 de outubro contra […]

today5 de novembro de 2023 7

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%