G1 Mundo

Diplomatas trocam acusações na Assembleia Geral da ONU por conflito Israel-Hamas

today27 de outubro de 2023 8

Fundo
share close

Texto proposto pela Jordânia foi bem recebido por países árabes, mas criticado por israelenses.


Diplomatas trocam acusações na Assembleia Geral da ONU por conflito Israel-Hamas — Foto: TIMOTHY A. CLARY / AFP



Representantes de Israel e de países árabes trocaram fortes acusações na tribuna da Assembleia Geral da ONU nesta quinta-feira (26). Durante dois dias, o órgão debate a guerra entre Israel e o Hamas, após o Conselho de Segurança fracassar em aprovar uma resolução para cessar o conflito.

“Para deter esta loucura, vocês têm a oportunidade de fazer algo, de enviar um sinal importante. Escolham a justiça, e não a vingança”, disse o embaixador palestino Riyad Mansour. “Não percam esta oportunidade. Há vidas que dependem disso e cada vida é sagrada. Por favor, salvem vidas, salvem vidas, salvem vidas. Votem a favor de nosso projeto de resolução.”

Depois que as divisões ficaram evidentes no Conselho de Segurança com a rejeição, em menos de duas semanas, de quatro projetos de resolução sobre a guerra entre Israel e Hamas, os países árabes, em particular, esperam que a Assembleia Geral (onde a relação de forças é diferente e nenhum país tem direito de vetar a proposta de outro) possa adotar uma posição, embora suas resoluções não sejam vinculantes.

A Jordânia fez circular um projeto de resolução ainda em discussão, que será submetido a votação na sexta-feira (27).

Israel está transformando Gaza em um inferno perpétuo na Terra. O trauma vai perseguir gerações inteiras”, declarou o ministro das Relações Exteriores da Jordânia, Ayman Safadi, em nome dos 22 países do grupo árabe. “O direito à autodefesa não é uma licença para matar impunemente, o castigo coletivo não é autodefesa, é um crime de guerra.”

O texto, do qual a AFP obteve uma cópia, se concentra majoritariamente na situação humanitária, pedindo um “cessar-fogo imediato” e o acesso “sem restrições” de ajuda humanitária à Faixa de Gaza. Também urge a “todas as partes” que “protejam os civis”, mas não menciona os ataques do Hamas.

“Os que redigiram a resolução afirmam estar preocupados com a paz, mas nem sequer mencionam os assassinos depravados que começaram esta guerra”, criticou o embaixador israelense Gilad Erdan. “Esta resolução é um insulto à inteligência, e o único lugar ao qual esta resolução pertence é a lata de lixo da história.”

Deseja receber as notícias mais importantes em tempo real? Ative as notificações do G1!

http://g1.globo.com/

http://g1.globo.com/




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

israel-x-hamas:-integrantes-do-conselho-da-onu-tentam-evitar-veto-cruzado-de-eua-e-russia-para-aprovar-novo-texto

G1 Mundo

Israel x Hamas: integrantes do conselho da ONU tentam evitar veto cruzado de EUA e Rússia para aprovar novo texto

Nesta quarta (25), o conselho, presidido temporariamente pelo Brasil, colocou mais duas resoluções em votação: texto dos Estados Unidos: vetado por Rússia e China;texto da Rússia: vetado pelos Estados Unidos. Na semana passada, o conselho também analisou uma proposta de resolução apresentada pelo Brasil. O texto, entre outros pontos, previa a abertura de corredores humanitários na região para que as pessoas possam deixar Israel e Gaza pelo Egito e retornarem […]

today27 de outubro de 2023 8

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%