G1 Mundo

Em Hiroshima para participar do G7, Lula se encontra com o primeiro-ministro do Japão

today19 de maio de 2023 33

Fundo
share close

No Twitter, Lula disse que teve uma “ótima conversa” com o primeiro-ministro.

Afirmou ainda que debateram a ampliação das relações empresariais entre os dois países.

“Ótima conversa com o primeiro-ministro do Japão. Falamos sobre a necessidade de retomarmos e ampliarmos relações entre empresários e empresas dos dois países. Temos laços culturais com o Japão e uma grande comunidade nipo-brasileira. A ampliação de nossa parceria será importante para o crescimento de nossos países”, escreveu Lula.



A presença de Lula no G7 marca o retorno do Brasil, após 14 anos, à reunião do grupo que reúne as sete economias mais industrializadas do mundo (Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido).

É praxe que outros países sejam convidados. Nesta edição, foram oito nações convidadas (Índia, Indonésia, Austrália, Ilhas Cook, Comores, Coreia do Sul, Vietnã e Brasil).

A última participação de um presidente do Brasil no G7 foi em 2009, com o próprio Lula. O petista pretende abordar temas como combate à fome, preservação ambiental e guerra na Ucrânia. Um dos documentos que deve sair após a cúpula tratará dos impactos de guerra na segurança alimentar.

Lula tenta desde o início do terceiro mandato, em janeiro, colocar-se como um possível mediador de um acordo de paz entre Rússia e Ucrânia. Declarações do presidente, contudo, geraram críticas dos Estados Unidos por considerá-las pró-Rússia.

Lula passou a criticar de forma mais enfática a invasão russa do território ucraniano, enquanto se opõe ao fornecimento de armas pelos EUA e União Europeia à Ucrânia.

G7: Lula se reúne com o Primeiro-Ministro japonês

G7: Lula se reúne com o Primeiro-Ministro japonês

A agenda de Lula durante a cúpula do G7 prevê três reuniões com os presidentes e primeiros-ministros dos demais países presentes:

  • Primeira sessão de trabalho: trabalhando Juntos para enfrentar múltiplas crises;
  • Segunda sessão de trabalho: esforços conjuntos para um planeta resiliente e sustentável;
  • Terceira sessão de trabalho: rumo a um mundo pacífico, estável e próspero.

Lula e os demais líderes devem fazer uma visita ao Parque Memorial da Paz de Hiroshima, dedicado às cerca de 166 mil pessoas que, segundo estimativas oficiais, morreram quando a cidade foi alvo da primeira bomba atômica usada em contexto de guerra, em 1945.

Lula também terá, à margem da cúpula, encontro com um grupo de empresários japoneses e representantes do banco de financiamento JBIC. Participarão representantes dos conglomerados Mitsui, NEC, Nippon Steel e Toyota.

Antes de embarcar de volta para o Brasil, Lula fará uma coletiva de imprensa na noite de domingo (horário de Brasília).

O governo brasileiro fechou uma série de reuniões separadas de Lula com outros chefes de Estado ou de governo que também estarão no G7. O Planalto confirmou até o momento sete audiências:

  • primeiro-ministro da Austrália, Anthony Albanese
  • presidente da Indonésia, Joko Widodo
  • primeiro-ministro do Japão, Fumio Kishida
  • presidente da França, Emmanuel Macron
  • primeiro-ministro da Alemanha, Olaf Scholz
  • primeiro-ministro do Vietnã, Pham Minh Chinh
  • secretário-geral da ONU, António Guterres

O Itamaraty e auxiliares de Lula também trabalham com a possibilidade de reuniões com representantes dos governos da Índia e do Canadá.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

ira-executa-tres-homens-ligados-a-protestos-no-pais

G1 Mundo

Irã executa três homens ligados a protestos no país

Majid Kazemi, Saleh Mirhashemi e Saeed Yaghoubi foram condenados por "moharebeh", ou "guerra contra Deus", por terem sacado uma arma durante uma manifestação, em novembro, na cidade de Isfahan, divulgou o site do Mizan Online, ligado ao Judiciário. Irã executa três homens que participaram de protestos contra o governo As autoridades afirmaram que os homens mataram dois integrantes da força paramilitar Basij e um oficial. O trio foi preso em […]

today19 de maio de 2023 23

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%