G1 Santos

Enguias expostas à cocaína têm óvulos imaturos e reprodução prejudicada, revela pesquisa

today21 de agosto de 2023 8

Fundo
share close

Um grupo de pesquisadores da Baixada Santista, no litoral de São Paulo, em conjunto com cientistas da Universidade de Nápoles, na Itália, expôs enguias à cocaína e concluiu que os animais apresentaram óvulos imaturos com a substância, o que prejudica a reprodução da espécie que está ameaçada de extinção.

Os vertebrados foram estudados como parte da tese de doutorado da pesquisadora Mayana Karoline Fontes, que diz ter usado 45 enguias — todas compradas de cultivo, portanto, consideradas saudáveis. Outra parte do estudo, analisou a exposição dos mexilhões à droga no litoral paulista e identificou que os moluscos sofreram alterações no DNA.

Segundo Mayana, as enguias foram expostas a uma concentração de 20 ng [nanogramas] de cocaína por litro para avaliar o impacto que a substância causaria no organismo. O estudo foi realizado de janeiro de 2020 a março de 2021 com base na análise histológica, ou seja, microscópica dos tecidos da espécie para detecção de possíveis lesões.



“O funcionamento dos ovários das enguias eram alterados pela presença da cocaína e, com isso, alterava a formação dos gametas, [causando] desregulação endócrina”, disse o coordenador da pesquisa, o professor doutor Camilo Seabra Pereira.

Ele ressaltou que os peixes são muito parecidos com os humanos, embora não saiba quais as consequências que a droga pode causar direta ou indiretamente nas pessoas.

Pereira explicou que o trabalho possibilitou à aluna realizar o estudo molecular da espécie. Segundo ele, a cocaína agiu como desregulador endócrino tanto na estrutura quanto no ovário desses vertebrados.

As enguias que foram expostas à droga apresentaram óvulos imaturos em comparação com o grupo de controle — que não sofreu exposição à cocaína. A espécie, segundo a pesquisadora, tem ciclo reprodutivo muito peculiar e nada 6 mil km para se reproduzir.

Após a reprodução, as enguias retornam os 6 mil km que nadaram até a região de origem, onde morrem, explicou a pesquisadora. “Nesse processo todo ela libera óvulos, que são gametas e espermatozóides na água, que são fecundados e os filhotes vão se desenvolver”.

Enguias expostas à cocaína sofreram alteração na forma de nado — Foto: Arquivo Pessoal

As enguias também sofreram alteração na diferenciação sexual, pois apresentaram menor quantidade de hormônios como LH [hormônio luteinizante] e FSH [hormônio folículo-estimulante], diretamente relacionados à maturação dos óvulos e produção de estrogênio [hormônio sexual feminino].

“Isso é um problema porque elas têm um ciclo reprodutivo muito bem regulado”, disse Mayana, que pontuou que as enguias estão na lista internacional de animais ameaçados de extinção.

“Foi um resultado muito interessante. Do ponto de vista reprodutivo, a gente não esperava que a cocaína fosse interagir dessa forma”. No entanto, a pesquisadora frisou que os resultados mostraram que a droga interage como ameaçadora da reprodução da espécie.

Enguias normalmente nadam bem próximo ao solo, como se estivesse rastejando porque parece uma cobra — Foto: Arquivo Pessoal

As enguias também mudaram o padrão de natação, sendo necessário até tampar o aquário para que não pulassem para fora. “A enguia normalmente nada bem próximo ao solo, como se estivesse rastejando porque parece uma cobra”. Com a exposição à droga, passaram nadar de forma vertical.

Para ela, esses dados são importantes para ressaltar que a cocaína e outros contaminantes ilícitos devem ser incluídos em programas de monitoramento para facilitar o entendimento do que as concentrações estão causando nos seres vivos e, consequentemente, no ser humano exposto direta ou indiretamente.

Experiência internacional

Pesquisadores Mayana Fontes (à esq.) e Camilo Seabra (à dir.) — Foto: Arquivo Pessoal e Carlos Abelha/g1

Para Mayana, participar de uma pesquisa internacional fortaleceu as redes de colaboração com outros países. “Estabelecer essa rede definitivamente impactou na qualidade da minha pesquisa porque pude ultrapassar o nível de análise de um organismo invertebrado, que é o que eu trabalhava no Brasil, com um organismo vertebrado que está mais próximo do ser humano”, finalizou.

VÍDEOS: Mais assistidos do g1 nos últimos 7 dias




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

bernardo-arevalo-e-eleito-presidente-da-guatemala

G1 Mundo

Bernardo Arévalo é eleito presidente da Guatemala

Com a confirmação da vitória, o atual presidente da Guatemala, o direitista Alejandro Giammattei, reagiu rapidamente, parabenizando Arévalo. "Parabenizo Bernardo Arévalo e estendo o convite para iniciar uma transição ordenada no dia seguinte à oficialização dos resultados", disse ele no X, antigo Twitter. Quase 3.500 centros de votação funcionaram normalmente durante o dia, e não foram relatados "incidentes significativos", disse Irma Palencia, presidente do tribunal eleitoral, que afirmou que houve […]

today21 de agosto de 2023 4

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%