G1 Mundo

EUA acusam Rússia de usar armamento químico na Ucrânia

today2 de maio de 2024 4

Fundo
share close

Os Estados Unidos acusaram a Rússia, nesta quarta-feira (1º), de ter usado “a arma química cloropicrina contra as forças ucranianas”, em violação à Convenção sobre Armas Químicas.

Além disso, a Rússia usou agentes químicos anti-distúrbios, como gás lacrimogêneo, “como método de guerra na Ucrânia, também em violação à convenção”, segundo um comunicado do Departamento de Estado.

“O uso destas substâncias químicas não foi um incidente isolado e provavelmente é motivado pelo desejo das forças russas de remover as forças ucranianas de posições fortificadas e obter ganhos táticos no campo de batalha”, informou o Departamento de Estado.



Ao mesmo tempo, Washington anunciou um novo pacote de sanções contra empresas e indivíduos de ajudar a financiar a invasão russa da Ucrânia.

Além das empresas de defesa russas e as entidades chinesas, estas sanciones afetam também várias unidades de pesquisa e empresas implicadas nos programas russos de armas químicas e biológicas.

“O desprezo contínuo por parte da Rússia de suas obrigações sob a convenção é consistente com o envenenamento de Alexei Navalny e de Sergei e Yulia Skripal com agentes nervosos Novichok”, continuou o Departamento de Estado.

Opositor ao presidente russo, Vladimir Putin, Navalny morreu na prisão em 16 de fevereiro, em circunstâncias ainda não esclarecidas.

O ex-agente duplo russo Skripal e sua filha, Yulia, foram envenenados no Reino Unido em 2018.

A Rússia declarou que já não possui um arsenal químico militar, mas o país enfrenta pressões para uma transparência maior sobre o uso deste tipo de armamento.

Segundo os Institutos Nacionais de Saúde (NIH) americanos, a cloropicrina é uma substância que, inalada, traz riscos para a saúde.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

senado-do-arizona-aprova-revogacao-de-lei-antiaborto-de-1864

G1 Mundo

Senado do Arizona aprova revogação de lei antiaborto de 1864

Como a revogação da lei já havia passado pela Câmara, a aprovação pelo Senado por 16 votos a 14 deixa a decisão nas mãos da governadora Katie Hobbs, uma democrata e que já havia criticado a volta da lei, que deve acontecer rapidamente. "Fico feliz em ver que o Senado atendeu ao meu apelo e votou para revogar a proibição total do aborto de 1864. Embora isso seja essencial para […]

today2 de maio de 2024 7

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%