G1 Mundo

EUA confirmam envio de bombas de fragmentação para a Ucrânia

today7 de julho de 2023 11

Fundo
share close

O assessor de segurança do governo dos EUA, Jake Sullivan, disse que o país vai entregar milhares de armas desse tipo aos ucranianos.

Há uma oposição ao uso de bombas de fragmentação –o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, deixou claro nesta sexta-feira que é contrário ao emprego dessas armas, que atingem uma área ampla e implicam um risco de danos não intencionais.

Forças Armadas dos EUA justificam



As Forças Armadas dos EUA deram declarações sobre as bombas de fragmentação: um oficial dos EUA diz que o pior que pode acontecer para os civis na Ucrânia é que a Rússia vença a guerra, e que os russos estão usando bombas de fragmentação na guerra.

No começo da guerra, a Anistia Internacional chegou a acusar a Rússia de usar esse tipo de arma no conflito, e na época o governo russo negou que estivesse empregando bombas de fragmentação na Ucrânia.

Um dos problemas das bombas de fragmentação são as falhas. Pelo mecanismo dessas armas, a bomba principal se abre no ar e dispersa diversos explosivos menores no ar. Uma parte dessas bombas menores não é detonada na hora. Esses artefatos que não explodiram na hora são considerados falhas –em algum momento incerto, eles podem explodir e causar mortes não intencionais.

Sullivan, o assessor de segurança do governo dos EUA, disse que os americanos vão mandar uma bomba de fragmentação que tem uma taxa de falhas relativamente baixa.

“Reconhecemos que as munições de fragmentação representam um risco de dano aos civis, devido aos artefatos explosivos não detonados, e é por isso que adiamos a decisão pelo maior tempo possível. Mas também existe um enorme risco de dano civil se as tropas e tanques russos avançarem sobre as posições ucranianas, conquistarem mais território ucraniano e subjugarem mais civis ucranianos, pois a Ucrânia não possui artilharia suficiente. Isso é intolerável para nós.”

De acordo com o Comitê Internacional da Cruz Vermelha, algumas munições de fragmentação deixam para trás bombas menores com uma alta taxa de falha na explosão – até 40% em alguns casos. A taxa de artefatos explosivos não detonados das munições que serão enviadas para a Ucrânia é inferior a 3% e, portanto, significará menos bombas não detonadas deixadas para trás, com potencial para prejudicar civis.

Uma convenção que proíbe o uso de bombas de fragmentação foi aderida por mais de 120 países, que concordaram em não usar, produzir, transferir ou armazenar essas armas e em desativá-las após o uso. EUA, Rússia e Ucrânia estão entre aqueles que não assinaram o tratado.

Restos de uma bomba de fragmentação não detonada no território ucraniano, em outubro de 2014 — Foto: Oleg Solvang/ Human Rights Watch




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

artista-plastico-coloca-mictorios-em-paredes-de-predios-historicos-de-barcelona;-veja-video

G1 Mundo

Artista plástico coloca mictórios em paredes de prédios históricos de Barcelona; veja vídeo

Turistas, que reclamaram do cheiro em algumas partes da cidade, elogiaram o trabalho do artista e disseram que ter mais banheiros públicos seria uma boa ideia. Artista plástico de Barcelona instala mictórios em paredes da cidade O artista plástico Joan Juncosa instalou mictórios em paredes de prédios históricos de Barcelona, na Espanha, nesta sexta-feira (7) para protestar contra pessoas que urinam nas antigas muralhas da cidade. Juncosa afirmou em sua […]

today7 de julho de 2023 14

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%