G1 Mundo

EUA dizem que dados preliminares indicam que grupo palestino é responsável por explosão em hospital

today18 de outubro de 2023 7

Fundo
share close

Uma análise preliminar feita por membros da inteligência dos Estados Unidos indica que a explosão em um hospital de Gaza teria sido causada por um foguete de origem de um grupo palestino, revelou a porta-voz do Conselho de Segurança dos Estados Unidos, Adrienne Watson.

“Embora continuemos a coletar informações, nossa avaliação atual, baseada na análise de imagens aéreas e de interceptações, é que Israel não é responsável pela explosão no hospital em Gaza”, disse Adrienne.

As agências de inteligência norte-americanas levaram em consideração um vídeo mostrando o foguete vindo de uma direção diferente das posições militares israelenses, disseram autoridades para o jornal norte-americano “The New York Times.”



Mais cedo, Joe Biden, enquanto discursava ao lado do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, afirmou ter visto um conteúdo feito pelo Departamento de Defesa dos EUA sobre a autoria do ataque.

Se confirmada, a conclusão contrariaria a versão apresentada pelo Governo de Gaza, que acusa Israel pela explosão.

Autoridades israelenses afirmaram que o foguete foi disparado pela Jihad Islâmica Palestina, um grupo aliado do Hamas, que nega a autoria.

Hamas afirma que ataque aéreo israelense a Gaza matou centenas de pessoas em hospital; Israel nega autoria e acusa Jihad Islâmica

Hamas afirma que ataque aéreo israelense a Gaza matou centenas de pessoas em hospital; Israel nega autoria e acusa Jihad Islâmica

O Ministério da Saúde de Gaza, um órgão controlado pelo Hamas, disse que 471 palestinos morreram na explosão que atingiu um hospital nesta terça-feira.

No entanto, não há um consenso sobre o número de mortos. O próprio Ministério da Saúde de Gaza já deu números diferentes: logo após o incidente, o órgão afirmou em um comunicado que eram 200, mas, em um segundo momento, o porta-voz da instituição Ashraf al-Qidra deu uma entrevista a uma TV e disse que seriam 500 mortos.

Já um porta-voz da Defesa Civil afirmou que são 300 mortos.

Tanto o Ministério de Saúde como a Defesa Civil são órgãos controlados por Hamas, que domina a Faixa de Gaza.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

hamas-x-israel:-o-que-previa-proposta-do-brasil-para-conselho-de-seguranca-e-por-que-eua-vetaram

G1 Mundo

Hamas x Israel: o que previa proposta do Brasil para Conselho de Segurança e por que EUA vetaram

A redação, cujo teor foi coordenado pela diplomacia brasileira, seria a primeira manifestação formal do órgão da ONU diante do novo conflito no Oriente Médio. O documento pedia a condenação dos ataques terroristas do Hamas e cobrava, sem citar Israel, o fim do bloqueio à Faixa de Gaza. A proposta estava estruturada em 11 pontos que pediam: A condenação veemente a "toda violência e hostilidade contra civis e a todos […]

today18 de outubro de 2023 9

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%