G1 Mundo

Ex-presidente francês Sarkozy usará tornozeleira eletrônica após perder recurso em caso por corrupção

today17 de maio de 2023 10

Fundo
share close

A sentença é a mesma de uma condenação de 2021 contra Sarkozy, à qual ele havia recorrido. Nesta manhã, um tribunal de Paris decidiu negar o recurso.

Sarkozy, político conservador que governou a França entre 2007 e 2012, se torna assim o primeiro ex-presidente da Quinta República francesa condenado à prisão.

Ele poderá cumprir a pena com tornozeleira eletrônica.



Sarkozy, de 68 anos, também perdeu os direitos políticos três anos. Ele foi ao tribunal ouvir a acusação e saiu em silêncio. Seu advogado disse que o ex-presidente continuará tentando provar sua inocência.

O caso teve início em 2014, quando os telefones do já ex-presidente estavam sob escuta da Justiça para outra investigação, sobre o suposto financiamento líbio de sua campanha eleitoral em 2007.

Os investigadores descobriram então a existência de uma terceira linha telefônica sob o pseudônimo “Paul Bismuth”, que ele usava sem medo de ser grampeado para conversar com o advogado e amigo Thierry Herzog.

A acusação afirma que os dois organizaram um acordo de corrupção com Gilbert Azibert, procurador do Tribunal de Cassação, que teria oferecido sua ajuda em um caso em troca de um cargo de prestígio em Mônaco.

Sarkozy queria que o tribunal anulasse a apreensão de seus diários presidenciais, determinada no âmbito da investigação sobre o abuso cometido pela herdeira do grupo L’Oréal, Liliane Bettencourt.

Herzog e Azibert também foram condenados a três anos de prisão, um deles obrigatório, por terem estabelecido um “pacto de corrupção” com Sarkozy em 2014. Herzog não poderá trabalhar como advogado por três anos.

Sarkozy é alvo de outros processos. O Ministério Público pediu o julgamento do ex-presidente e de outras 12 pessoas por suspeitas de que sua vitoriosa campanha eleitoral em 2007 foi parcialmente financiada pelo então regime líbio de Muammar Khaddafi.

A partir de novembro, Sarkozy enfrentará novo julgamento pelo caso Bygmalion.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

o-que-se-sabe-sobre-o-missil-que-a-russia-disparou-em-kiev

G1 Mundo

O que se sabe sobre o míssil que a Rússia disparou em Kiev

Kinzhal significa punhal em russo. São armas relativamente novas, foram apresentadas pela primeira vez em 2018. Parte de um míssil Kinzhal na Ucrânia — Foto: Valentyn Ogirenko/Reuters A Rússia disparou mísseis hipersônicos Kinzhal em Kiev, na Ucrânia, nesta terça-feira (16). A Ucrânia afirmou que conseguiu derrubar todos os seus que haviam sido lançados. Já a Rússia disse que um dos mísseis conseguiu atingir um sistema de defesa que havia sido […]

today17 de maio de 2023 4

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%