G1 Santos

Famílias chegam à festa de formatura e descobrem ter caído em golpe: ‘vi meu filho chorando’, diz pai

today25 de dezembro de 2023 6

Fundo
share close

O que era para ser um dia de alegria terminou em pesadelo. Os 20 formandos e mais de 130 convidados para a formatura do 9° ano da Escola Municipal Joaquim Augusto Ferreira Mourão de Praia Grande, no litoral de São Paulo, foram vítimas de um golpe aplicado pela proprietária do buffet contratado, que não organizou a festa. Imagens obtidas pelo g1, nesta segunda-feira (25), mostram o salão onde seria o evento vazio. (assista acima)

A reportagem apurou que uma professora foi quem fechou o contrato com o Buffet Carla Arruda, que leva o nome da dona da empresa. Caberia a ela organizar o salão, decorar e garantir a alimentação e bebidas da festa, o que não aconteceu. O g1 entrou em contato com Carla Arruda, mas esta não atendeu as ligações.

Sensibilizada com a situação, a citada professora e outros docentes fizeram um rateio e compraram salgados e bebidas para improvisar a festa. A autônoma Kátia Regina dos Santos, de 46 anos, é mãe de aluno e ficou emocionada com a atitude da docente: “Tirou do bolso dela para fazer acontecer a cerimônia”, disse ela, que investiu R$ 970 na festa e mais R$ 370 por convites extras.



Kátia Regina acredita que os pais e responsáveis tenham investido algo em torno de R$ 30 mil. “A gente pagou o buffet e simplesmente não compareceu. O salão estava vazio, sem nada para comer e beber. […] foi uma coisa horrível, muito triste […]. Eu me senti lesada”.

Pais de alunos do 9° ano sofrem golpe de buffet que organizaria festa de formatura

Pais de alunos do 9° ano sofrem golpe de buffet que organizaria festa de formatura

O encarregado de manutenção predial e pai de um dos alunos, Diego de Oliveira, de 39 anos, contou que a professora mandou um vídeo chorando assim que percebeu que nada havia sido organizado no salão de festas. Mesmo assim, eles [responsáveis] resolveram ir ao local para ver o que seria feito.

“Não tinha nada. A mulher simplesmente não apareceu, sumiu. Ficou aquele desespero. Sabe quando se faz uma formatura nas coxas? A gente pagou por uma formatura top e teve que fazer um rateio entre as professoras, que compraram uns salgadinhos e refrigerantes“, disse ele.

Oliveira pagou R$ 1.070 para cinco pessoas irem à festa, incluindo ele e o formando. “Foi tão planejada, com tanto sacrifício. Perdi meu 13° para pagar as coisas para meu filho e aconteceu essa fatalidade. Não [vamos] deixar isso passar impune para que outros não passem pela mesma situação e constrangimento”.

O dinheiro perdido, segundo ele, não o deixaria nem mais rico e nem mais pobre, mas acabou com um sonho. “Foi criada uma expectativa. Vi meu filho chorando e todo mundo em uma situação deplorável sendo que era para ser um momento de alegria”.

A mãe e manicure Maria Dasdores da Silva, de 33 anos, afirmou que vai registrar um boletim de ocorrência e procurar um advogado assim que o recesso terminar. Ela pagou R$ 970 em parcelas para que o filho participasse da formatura.

Funcionária contratada fica comovida

Uma funcionária que havia sido contratada para o evento, mas preferiu não se identificar, contou que trabalha no ramo há anos e nunca tinha presenciado uma situação como essa. “Para a gente foi frustrante também. A gente ficou comovido e chateado”.

A reportagem entrou em contato com a dona do buffet, mas ela não atendeu as ligações. A Polícia Militar informou ter sido acionada para uma ocorrência de desentendimento e orientou as partes registrarem o caso no 1° Distrito Policial (DP).

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP) informou que não localizou registros sobre o caso. “A Polícia Civil está à disposição das vítimas para registrar e investigar os fatos”.

O g1 entrou em contato com a Prefeitura de Praia Grande, mas não obteve retorno até a publicação desta matéria.

Empresa contratada para buffet e organização de festa de formatura some no dia do evento, em Praia Grande (SP) — Foto: Roque Vieira/g1

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

turista-compara-predios-tortos-de-santos-a-torre-de-pisa:-‘surreal-ver-pessoas-morando-nesses-predios’

G1 Santos

Turista compara prédios tortos de Santos a Torre de Pisa: ‘surreal ver pessoas morando nesses prédios’

Os prédios tortos em Santos, no litoral de São Paulo, apesar de serem conhecidos nacionalmente pelas mais de 300 construções inclinadas, causam surpresa e espanto aos turistas que passam pela orla santista. Os visitantes ouvidos pelo g1, nesta segunda-feira (25), descartaram a hipótese de morar nos imóveis. Um deles até comparou os edifícios com a Torre de Pisa, na Itália. Moradora de Santo André, no ABC paulista, a analista financeira […]

today25 de dezembro de 2023 6

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%