G1 Mundo

Flórida obriga escolas a ensinar que escravos ‘desenvolviam habilidades que os beneficiavam’; educadores e vice-presidente dos EUA criticam

today21 de julho de 2023 7

Fundo
share close

O Conselho de Educação da Flórida, nos Estados Unidos, aprovou na quarta-feira (19) novas diretrizes para estudos de história nas escolas do estado, e um dos pontos afirma que os professores devem dizer aos alunos que em alguns casos, escravos desenvolviam habilidades que os favoreciam.

O documento lista que o ensino de história deve “examinar as várias tarefas e negócios executados por escravos (exemplos: trabalho em agricultura, pintura, marcenaria, serviço doméstico, ferraria, transporte)”. Há, então, o seguinte detalhamento: “Clarificação: essa instrução devem incluir como os escravos desenvolveram habilidades que, em alguns casos, poderiam ser aplicadas ao benefício pessoal deles”.

A frase foi criticada pela associação de educadores do estado e também pela vice-presidente dos EUA, Kamala Harris, que viajou para a Flórida para reclamar da diretriz.



Dois membros do grupo de trabalho que redigiu as diretrizes do estudo de história afro-americana defenderam as normas. Eles afirmaram à NBC que tinham como objetivo mostrar “que alguns escravos desenvolveram ofícios altamente especializados dos quais se beneficiaram”.

Além dessa diretriz, há uma outra que tem sido criticada nos EUA, que pede para que os professores digam que em episódios em que houve ataques a afro-americanos a violência foi cometida “contra e pelos afro-americanos”. São citados eventos nas cidades de Atlanta, em 1906, e Tulsa, em 1921.

Há também uma instrução que inclui dizer que a escravidão era empregada nas culturas da Ásia, Europa e África.

A rede NBC foi a primeira a noticiar a história. O governo dos EUA afirmou à NBC que a vice-presidente vai viajar porque quer proteger as liberdades fundamentais, especificamente, a liberdade de aprender e ensinar a história completa e verdadeira da América.

Ela também vai se encontrar com líderes de grupos de direitos civis, educadores e políticos da Flórida.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

justica-da-italia-decide-nao-executar-ursa-que-matou-corredor

G1 Mundo

Justiça da Itália decide não executar ursa que matou corredor

Em abril, uma ursa matou um corredor em uma floresta. O presidente da província queria executá-la, mas uma associação de direitos animais conseguiu suspender a decisão. Os ursos estão se aproximando cada vez mais de áreas frequentadas por seres humanos (imagem ilustrativa) — Foto: AFP PHOTO / JENS BUTTNER A Justiça da Itália decidiu não executar uma ursa que, em abril, matou um corredor em uma cadeia de montanhas do […]

today21 de julho de 2023 6

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%