G1 Mundo

Forte terremoto atinge o Tadjiquistão e parte da China

today23 de fevereiro de 2023 12

Fundo
share close

Uma série de terremotos sacudiu o Tadjiquistão na manhã desta quinta-feira (13), sendo o mais forte deles de magnitude 6,8, de acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês).

Os terremotos foram sentidos na capital Dushanbe, mas seu epicentro foi no leste do país, perto da fronteira com a China.

A área é pouco povoada, mas abriga o lago Sarez, que pode inundar vastas áreas em vários países.



Não há relatos sobre danos ou vítimas.

A China também registrou o terremoto em seu território, mas, segundo TV estatal China Earthquake Networks Center (CCTV), o tremor atingiu magnitude 7,2. O tremor foi fortemente sentido em algumas áreas da região ocidental de Xinjiang, incluindo Kashgar e Artux, informou a CCTV.

O fornecimento de energia e a comunicação permaneceram normais em Kashgar, informou a mídia estatal Xinhua. O departamento ferroviário de Xinjiang, porém, suspendeu os trens de passageiros que circulam entre Aksu e Kashgar.

As autoridades locais estavam inspecionando pontes, túneis e equipamentos de sinalização, disse a CCTV.

Também não há relatos sobre danos ou vítimas.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

mais-de-185-mil-deslocados-na-regiao-somali-da-somalilandia,-segundo-a-onu

G1 Mundo

Mais de 185 mil deslocados na região somali da Somalilândia, segundo a ONU

A violência forçou mais de 185 mil pessoas a fugirem de suas casas na cidade de Las Anod, na Somalilândia, uma região autoproclamada independente da Somália, disse o Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (Ocha) na quinta-feira (16). A instituição também afirma que 89% dos deslocados são mulheres e crianças, muitas das quais não encontraram outro refúgio senão a sombra de uma árvore ou uma escola […]

today23 de fevereiro de 2023 15

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%