G1 Mundo

Foto histórica que mostra beijo não-consensual no fim da Segunda Guerra Mundial vira pivô de debate nos EUA

today9 de março de 2024 7

Fundo
share close

Uma foto histórica, que se tornou polêmica, está no centro de uma disputa nos Estados Unidos. Tirada no final da Segunda Guerra Mundial, a foto mostra um beijo entre um marinheiro e uma enfermeira. Mas o beijo foi ‘no susto’, não-consensual.

Por isso, um subsecretário assistente do Departamento de Assuntos de Veteranos (de guerra) dos Estados Unidos (AV) elaborou um memorando em 29 de fevereiro para proibir exibições públicas da foto em todas as instalações de saúde do departamento.

O memorando dizia que a foto “descreve um ato não consensual” e é inconsistente com a política de assédio sexual do AV.



A foto, chamada de “V-J Day in Times Square” (“Dia da vitória sobre o Japão na Times Square”, em português) ou apenas “O beijo”, foi tirada em 14 de agosto de 1945, no dia da rendição do Japão para os Estados Unidos. O marinheiro George Mendonsa avistou Greta Friedman, girou-a e lhe deu um beijo. Os dois nunca haviam se encontrado antes disso.

Uma cópia do memorando surgiu nas redes sociais em postagens que acumularam milhões de visualizações, o que rapidamente criou uma crise política.

Horas depois, o secretário de Assuntos de Veteranos, Denis McDonough, derrubou a decisão e disse que não há chances da histórica foto ser retirada. O secretário nunca havia aprovado o memorando e o descartou assim que foi informado de sua existência, segundo duas pessoas ouvidas pela AP, que também confirmaram a autenticidade do memorando.

“Deixe-me ser claro: esta imagem não está proibida nas instalações do Departamento de Assuntos de Veteranos, e vamos mantê-la nas instalações do VA”, afirmou o secretário na terça-feira (5).

A Casa Branca também entrou na polêmica, reforçando a mensagem de McDonough. “O AV não vai proibir esta foto. (…) Posso definitivamente dizer que o memorando não foi sancionado, então não é algo que sequer estávamos cientes”, disse a secretária de imprensa da Casa Branca, Karine Jean-Pierre, na terça.

Greta Friedman disse à Biblioteca do Congresso dos EUA em 2005 que “não foi um evento romântico. Foi apenas um evento do tipo ‘graças a Deus que a guerra acabou'”. A mulher disse ainda que “não foi minha escolha ser beijada. O cara simplesmente veio e beijou ou agarrou”.

A fotografia ficou consagrada ao aparecer na revista Life, e por anos foi tratada como um símbolo ao sentimento dos americanos pelo fim da II Guerra Mundial.

Greta Friedman morreu em 2016 aos 92 anos. George Mendonsa morreu em 2019 aos 95 anos.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

as-fotos-ineditas-de-primeiros-presos-em-guantanamo-reveladas-pelos-eua

G1 Mundo

As fotos inéditas de primeiros presos em Guantánamo reveladas pelos EUA

Desde que a base militar americana em Cuba virou uma prisão de alta segurança para abrigar detidos acusados de terrorismo após os ataques de 11 de setembro de 2001, havia poucas imagens da chegada na ilha e da vida dos prisioneiros. Nas fotos, é possível ver como prisioneiros detidos no Afeganistão viajaram: em aviões militares, com mãos e pés algemados. Mostram também o forte aparato de segurança para recebê-los em […]

today9 de março de 2024 5

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%