G1 Santos

Fotógrafo flagra grupo de orcas nadando no litoral de SP: ‘Indescritível’; VÍDEO

today7 de fevereiro de 2023 16

Fundo
share close

O fotógrafo Rafael Mesquita, de 37 anos, registrou um grupo de oito orcas (Orcinus orca) nadando pelo litoral de São Paulo. Morador de Bertioga (SP) e profissional da área de fotografia marinha há 4 anos, ele afirmou ao g1 nesta terça-feira (7) que foi a primeira vez que presenciou o aparecimento desse animal. “Foi um baita privilégio e uma coisa indescritível [para mim]”, disse.

As imagens foram feitas no último domingo (5), durante uma saída de campo pelos projetos Megafauna Marinha do Brasil, o qual Mesquita é o idealizador, e o Baleia à Vista, no sul de Ilhabela.

“São poucos indivíduos (animais) ao longo do litoral brasileiro inteiro e pode ser que eles fiquem circulando por diferentes regiões. Tentamos entender melhor esse deslocamento ao longo do ano e tentar descobrir algum padrão”, relata.



De acordo com Mesquita, o grupo de orcas estava em um macho, seis fêmeas e um filhote. — Foto: Rafael Mesquita

O fotógrafo fazia registros para o próprio projeto, que pesquisa sobre animais marinhos grandes, cetáceos (baleias e golfinhos), tubarões-baleia, raias-manta, entre outros, quando avistou o grupo de orcas. Nele, estavam um macho, seis fêmeas e um filhote. Um deles, inclusive, foi flagrado de barriga para cima em uma das fotografias.

“Elas não são tão comuns [de se encontrar], visto que aparecem geralmente uma vez por ano, até agora sempre no verão. Ano passado, não tivemos registro delas por aqui”, afirma o profissional, que estava em uma moto aquática no momento em que as orcas surgiram.

As imagens foram feitas no último domingo (5), pelo fotógrafo Rafael Mesquita, de Bertioga, no litoral de SP. — Foto: Reprodução/ Rafael Mesquita

O fotógrafo ainda entra na questão de que, para ele, a orca é um dos animais mais polêmicos do ambiente marinho, justamente devido ao estigma de baleia assassina. “Isso é uma coisa muito pejorativa. De assassino, eles [os animais] não tem nada. É uma fama indevida porque são animais incríveis e lindos. Vê-las na natureza livres dessa forma, é a coisa mais maravilhosa do mundo”, afirma.

Segundo ele, a norma é não se aproximar a mais de 100 metros do animal. “Com relação a som e ruído, não é legal, porque esses animais utilizam o som para comunicação. Então, é preciso respeitar a distância estipulada, não interromper o curso do animal, ou seja, se ele está nadando em uma direção, não entrar na frente do animal”, destaca o biólogo marinho.

As imagens foram feitas no último domingo (5), pelo fotógrafo Rafael Mesquita, de Bertioga, no litoral de SP. — Foto: Rafael Mesquita

VÍDEOS: Mais assistidos do g1 nos últimos 7 dias




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

1a-edicao-do-aurora-fest-acontece-no-teatro-procopio-ferreira,-em-guaruja

Prefeitura de Guarujá

1ª Edição do Aurora Fest acontece no Teatro Procópio Ferreira, em Guarujá

Evento será no próximo sábado (11), a partir das 14 horas, e tem como objetivo levar artistas independentes a espaços públicos da Cidade Com o intuito de divulgar os artistas e bandas da Região, a 1ª Edição do Aurora Fest chega a Guarujá neste sábado (11), a partir das 14 horas, no Teatro Municipal Procópio Ferreira. O festival é uma realização do Coletivo Aurora, com apoio da Secretaria de Cultura […]

today7 de fevereiro de 2023 15

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%