Tocando:

Rádio 97Web

Funcionários da Fundação Casa de Peruíbe entram em greve parcial e realizam protesto

Escrito por em 16 de junho de 2021

Funcionários da Fundação Casa de Peruíbe, no litoral paulista, entraram em greve parcial nesta quarta-feira (16), contra a retirada de direitos dos trabalhadores. O ato foi realizado em frente à unidade, e teve início às 6h30, com apoio do sindicato da categoria.

De acordo com o diretor do Sindicato dos Trabalhadores nas Fundações Públicas de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente em Privação de Liberdade do Estado de São Paulo (SITSESP), Wagner da Silva Souza, que esteve no ato, a greve é contra os descontos que a Fundação Casa tem realizado desde o início de junho no vale refeição.

Segundo Souza, o órgão, gerido pelo estado, passou a descontar no benefício os dias em que os funcionários se mantiverem afastados das funções por motivos médicos, mesmo com atestado. Com a prática, funcionários com comorbidades por conta da pandemia e gestantes não receberiam o benefício.

Além disso, os trabalhadores que eventualmente ficarem doentes e precisarem passar alguns dias de atestado, ou pessoas que tiverem acidentes de trabalho no local e forem afastadas, terão os dias não trabalhados descontados do valor total do vale refeição.

Segundo o diretor do SITSESP, o vale alimentação recebido pelos funcionários da Fundação Casa possui um valor muito baixo, por isso, a compra de alimentos precisa ser completada com o vale refeição. Ele ainda cita que, desde 2015, o valor do plano de saúde oferecido pelo estado aos funcionários também vem aumentando, e muitos já precisaram desistir do plano.

Ato terminou por volta das 11h desta quarta-feira (16), e uma nova greve para quinta-feira (17) será discutida — Foto: Arquivo Pessoal/Wagner da Silva Souza

Assim, além de ficarem sem plano de saúde por conta do valor, ao ficarem doentes, os trabalhadores também não teriam condições de continuar garantindo a alimentação de suas famílias, conforme relata o diretor sindical.

“Está difícil até para comprar alimentos para a nossa família, e aí vem o estado para tirar nossa forma de comprar alimentos e complica muito. O estado também tem que ter um olhar voltado para os funcionários, nós precisamos comer, nossa família precisa comer”, conta.

Souza ainda explica que funcionários de unidades da Fundação Casa de Praia Grande, Mongaguá e Guarujá, no litoral de São Paulo, também entraram em greve parcial nesta quarta-feira. Por meio de uma assembleia virtual realizada na última terça-feira (15), 75% dos trabalhadores do estado, dos setores de segurança e pedagogia, votaram a favor do ato.

O sindicalista ainda explica que, terça-feira, a comissão de negociação do SITSESP participou de uma reunião com o Tribunal Regional do Trabalho (TRT), que, na tentativa de gerar uma conciliação, ofereceu apenas o aumento de cerca de R$ 50 no vale refeição, sem aceitar as demais reivindicações do grupo, tendo a proposta negada.

Em nota, a Fundação Casa se posicionou sobre a greve dos funcionários e esclareceu que realizou reuniões com os funcionários, a fim de chegarem a um acordo, antes que a greve fosse votada. Confira a nota na íntegra:

“A Fundação Casa lamenta a intransigência do SITSESP [Sindicato dos Trabalhadores nas Fundações Públicas de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente em Privação de Liberdade do Estado de São Paulo], entidade sindical que representa parte dos servidores da instituição, pela decisão de implementar um movimento de greve em plena pandemia de Covid-19.

A fundação destaca que, durante todo período da pandemia de Covid-19, nunca houve atraso ou suspensão nos pagamentos e nos benefícios [vale refeição, alimentação e convênio médico], e todos empregos foram mantidos. Essa é uma situação completamente oposta ao do restante da população, que atualmente sofre com uma grave crise econômica causada pela pandemia.

Por conta do caráter essencial do serviço prestado pela Fundação Casa, o Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região [TRT-2] determina que 70% do efetivo esteja trabalhando. Além disso, o julgamento do dissídio já está instaurado, com a data do julgamento marcada para a próxima quarta-feira [23]. Os pleitos serão analisados pela Justiça do Trabalho.

A Fundação Casa ainda reforça que sempre esteve aberta ao diálogo com o sindicato e que realizou inúmeras reuniões com o propósito de chegar a um acordo”.

VÍDEOS: G1 em 1 Minuto Santos




Opinião dos visitantes

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *