Tocando:

Rádio 97Web

Governador do Arkansas veta projeto de lei que proíbe tratamento trans para crianças

Escrito por em 8 de abril de 2021

Em um comunicado na segunda-feira (5), Asa Hutchinson, governador do Arkansas, anunciou que se opôs ao projeto de lei HB 1570, que impede menores de idade de passar por terapias hormonais e cirurgias de mudança de gênero.

Asa alegou que é um caso de “grande exagero do governo” e que nada mais é do que um “produto de uma guerra cultural na América”.

O Senado estadual, composto pela maioria republicana, já havia aprovado a proposta, caso não fosse vetada os médicos seriam proibidos de prescrever bloqueadores de puberdade ou realizar procedimentos que alteram o sexo de menores de idade.

“Não evito a batalha quando é necessário e defensável. Mas a ação mais recente da assembleia geral, embora bem intencionada, está fora do rumo e devo vetar”, disse o governador à mídia.

A decisão de Hutchinson foi condenada por vários conservadores nas redes sociais, um deles o autor do livro proibido, “Quando Harry Met Sally: Respondendo ao Movimento Transgênero”, Ryan T. Anderson que compartilhou um citação de 2019 e disse que:

“É particularmente antiético intervir no desenvolvimento físico normal de uma criança para ‘afirmar’ uma ‘identidade de gênero’ que está em desacordo com o sexo corporal”.

Por outro lado a esquesdista American Civil Liberties Union, parabenizou o veto do governador e disse que foi uma vitória. O grupo já havia feito afirmações de que não há diferença entre uma mulher biológica e um trans.

Segundo o Faith Wire, Asa teria dito que se preocupava com os menores recorrendo ao mercado negro para procurar o tratamento que precisam caso a lei fosse aprovada no estado, e afirmou que:

“Embora, em alguns casos, o estado deva agir para proteger a vida, o estado não deve ter a pretensão de se meter no meio de todas as questões médicas, humanas e éticas. Isso seria, e é, um grande exagero do governo”, disse ele.




Opinião dos visitantes

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *