G1 Mundo

Guerra na Ucrânia: 10 fotos tiradas pouco antes de a vida mudar para sempre

today24 de fevereiro de 2023 12

Fundo
share close

Esta foto foi tirada em 23 de fevereiro de 2022 e retrata minha caminhada pelo meu distrito. O tempo estava bom naquele dia, mas havia a sensação de que algo poderia acontecer. — Foto: ANGELINA CHABAN/via BBC

Esta foto foi tirada em 23 de fevereiro de 2022 e retrata minha caminhada pelo meu distrito. O tempo estava bom naquele dia, mas havia a sensação de que algo poderia acontecer.



Fiz o registro por causa do bom tempo e porque eu estava com uma boa aparência. Fica na zona rural nos arredores de Kramatorsk, no leste da Ucrânia. É o meu lugar favorito.

Nas primeiras semanas após a invasão da Rússia, fiquei em casa, mas em 7 de abril nos mudamos para o oeste, para Vinnytsia e depois para a capital, Kiev.

Quando olho para a foto, parece que é de uma vida diferente.

Trabalhando de casa com minha gata

Estava trabalhando em casa no dia 22 de fevereiro, atendendo ligações com meu gato ao meu lado, apenas curtindo a vida. — Foto: ANNA/via BBC

Estava trabalhando em casa no dia 22 de fevereiro, atendendo ligações com meu gato ao meu lado, apenas curtindo a vida. Tirei a foto porque minha gata parecia fofa.

O nome dela é Fura, que significa caminhão. Minha irmã a resgatou da beira de uma rodovia quando ela era uma filhote.

Houve alguma cobertura da mídia na época sugerindo que algo iria acontecer, e as pessoas estavam falando sobre isso. Mas eu esperava que, se houvesse de fato uma invasão, isso não afetaria a população civil.

No dia 25, decidimos deixar Kiev. Trouxemos a gata conosco e nos mudamos para o noroeste da Ucrânia. No verão, voltamos.

Projetos do jardim de infância

Minha filha Marta fez esta vela na pré-escola e trouxe-a para casa no dia 22 de fevereiro. — Foto: IHOR BEZRUKYI/via BBC

A minha filha Marta fez esta vela na pré-escola e trouxe-a para casa no dia 22 de fevereiro. Lembro-me de ficar feliz porque as crianças estavam sendo criativas e fazendo coisas, e fiquei orgulhosa dela porque era tão bonita e bem feita.

Não sabia então o que aconteceria a seguir.

Minha filha fará sete anos em março, mas ela não vai à pré-escola desde 24 de fevereiro do ano passado. Minha esposa não deixa.

Inicialmente, estava realmente preocupado que, se houvesse uma guerra, minha família e eu teríamos que nos separar. Mas ainda estamos aqui.

1 ano de guerra na Ucrânia: entenda as 4 fases do conflito

1 ano de guerra na Ucrânia: entenda as 4 fases do conflito

Jantar e bebidas com amigos

Em um dia comum e, depois do trabalho, decidi dar uma passada no bar de um amigo para tomar alguns drinques. — Foto: VALERIIA DUBROVSKA/via BBC

Era apenas um dia comum e, depois do trabalho, decidi dar uma passada no bar de um amigo para tomar alguns drinques. Depois, me levaram para tomar uma cerveja, comida local e vodca de raiz-forte.

Não me lembro exatamente o que estava sentindo, mas sei que estávamos contando piadas. Conversamos sobre a possibilidade de uma invasão russa, mas todos juntos pensamos: “Não vai acontecer”.

Alguns dias depois da invasão, conheci dois dos caras com quem saí naquela noite. Estávamos todos ajudando os militares a construir barricadas ao redor do centro de Odessa. Olhando para trás, foi uma visão espetacular – dezenas de hipsters carregando sacos de areia.

Quando olho para a foto agora, sinto saudades da pessoa que costumava ser.

Fim de semana prolongado em Lviv

Uma amiga veio me visitar em Lviv no aniversário dela e foi o primeiro fim de semana prolongado que tive em algum tempo. — Foto: SOFIA DOROSHENKO/via BBC

Uma amiga veio me visitar em Lviv no aniversário dela e foi o primeiro fim de semana prolongado que tive em algum tempo.

Fizemos um tour pela cidade e fomos ver uma vista panorâmica recém-inaugurada da Igreja de Santas Olha e Isabel. Éramos as últimas visitantes naquele dia, então nos pediram para fechar a porta quando saímos.

Senti pura felicidade naqueles dias. Estava feliz com meus amigos e meu trabalho. Mas também havia algo no ar, uma sensação de que algo inevitável estava por vir e que tudo iria mudar.

Hoje em dia, o mirante de onde olhamos está fechado.

Ainda estou em Lviv, mas raramente tiro fotos com meu telefone a não ser para documentar o que está acontecendo.

Dias em família dentro de casa

Foto do meu primeiro filho, Yaroslav, em 19 de fevereiro em nossa casa em Dnipro. — Foto: IEVGEN PEREVERZIEV/via BBC

Tirei esta foto do meu primeiro filho, Yaroslav, em 19 de fevereiro em nossa casa em Dnipro. Ele tinha apenas seis meses na época. Minha cachorra também está no registro – ela é uma grande amiga do meu filho.

Saímos de casa no dia 24 de fevereiro. Dirigi por três dias até a parte ocidental da Ucrânia para trazer minha família para um lugar mais seguro.

Nossa casa em Dnipro ainda está lá, mas ninguém mora nela. Tive que pedir para os amigos limparem porque quando saímos a geladeira ainda estava cheia de comida.

Era dono de uma agência de viagens, mas agora o turismo está completamente morto. Agora, sou voluntário no Exército, trazendo carros para os militares da fronteira até a parte central da Ucrânia. Estou sempre dirigindo, dirigindo, dirigindo.

Neste período da vida de uma criança, eles crescem muito rapidamente. Às vezes fico fora por 10 dias e quando volto descubro que ele aprendeu algo novo.

Uma foto do time depois de perder nas semifinais de um torneio de futebol local em Kharkiv. — Foto: BORIS SHELAHUROV/via BBC

Posamos para uma foto do time depois de perder nas semifinais de um torneio de futebol local em Kharkiv. Marquei o único gol naquele jogo para o nosso time.

Mesmo perdendo, ficamos felizes porque jogamos bem. Não acreditava na época que uma guerra iria acontecer.

Quero jogar outro torneio com meu time.

Aula de direção e xícara de café

Foto de uma xícara de café “Paris, eu te amo” em 22 de fevereiro de 2022, após uma aula de direção. — Foto: OLEKSANDR POPENKO/via BBC

Tirei esta foto de uma xícara de café “Paris, eu te amo” em 22 de fevereiro de 2022, após uma aula de direção. Fazia parte de um projeto fotográfico em que estou trabalhando.

Morávamos em Bucha e passamos as duas primeiras semanas após a invasão no porão de uma pré-escola que ficava perto do nosso prédio. Perdi 10kg nesse período.

Escapamos da ocupação russa a pé em 10 de março, caminhando 22 km. Quando chegamos ao primeiro posto de controle ucraniano, quase chorei.

Ainda estou tentando fazer meu projeto fotográfico, apesar da guerra. Ainda não passei no exame de direção.

Galeria Nacional de Arte de Lviv, no Palácio Potocki. — Foto: ANDRII RYBKA/via BBC

Trabalho na Galeria Nacional de Arte de Lviv, no Palácio Potocki. Todos os anos, o museu coloca essas decorações cafonas de inverno até a primavera e eu sempre tiro sarro delas.

Todos na cidade falavam sobre a possibilidade de guerra. Alguns dias antes do dia 24, sem saber o que poderia acontecer, é claro, pedi ao meu amigo para tirar uma foto minha com as decorações – para descontrair.

Ainda estou trabalhando no museu, mas tudo é diferente agora. Parece que 100 anos se passaram, vivemos tanto.

Crianças brincando no museu

Foto tirada na apresentação de um novo livro no Museu Nacional de Arte de Kiev. — Foto: ZHENYA MOLYAR/via BBC

Esta foto foi tirada na apresentação de um novo livro no Museu Nacional de Arte de Kiev. Enquanto os adultos conversavam, meus filhos e os filhos de meus amigos sentaram-se para brincar.

No dia 6 de março, dirigi com meus filhos até a fronteira húngara, deixei o carro lá e continuei a pé.

Penso em como as crianças estão despreocupadas nesta foto e como, logo depois, foram obrigadas a fazer uma viagem tão perturbadora — dirigindo por muito tempo sem saber para onde estavam indo, enquanto suas mães choravam.

Histórias editadas por concisão e clareza. Colaboraram Svitlana Libet e Anastasiya Gribanova.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

em-kiev,-zelensky-diz-que-fara-o-possivel-para-vencer-a-guerra-este-ano,-e-defesa-anuncia-contraofensiva

G1 Mundo

Em Kiev, Zelensky diz que fará o possível para vencer a guerra este ano, e Defesa anuncia contraofensiva

"Faremos todo o possível para vencer este ano". Foi com essa promessa que o presidente da Ucrânia, Volodimir Zelensky, iniciou um discurso à nação feito nesta sexta-feira (24), dia em que a invasão russa de seu país completa um ano. "Somos fortes. Estamos preparados para tudo. Derrotaremos todos, porque somos a Ucrânia", declarou em um vídeo divulgado nas redes sociais. Pouco depois do discurso de Zelensky, o ministro ucraniano da […]

today24 de fevereiro de 2023 11

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%