G1 Mundo

Hamas afirma que refém bebê israelense morreu em bombardeio; Israel diz estar checando informação

today29 de novembro de 2023 3

Fundo
share close

O Hamas afirmou nesta quarta-feira (29) que Kfir Bibas, um bebê de dez meses que é o refém mais novo em poder do grupo terrorista, morreu em um bombardeio de Israel.

A informação não pode ser verificada de forma independente. O governo israelense disse que iria checar a acusação dos terroristas, mas, em um comunicado, afirmou que a segurança de todos os reféns “é de responsabilidade do Hamas”.

Ainda segundo o Al-Qassam, o braço armado do Hamas, a mãe do bebê e seu irmão, um menino de 4 anos, também morreram por conta de ataques feitos por Israel antes do período de trégua firmado entre as duas partes.



O restante da família, que está em Israel, foi comunicada sobre a morte, apesar de não ter sido confirmada oficialmente pelo governo, diz a agência de notícias Reuters.

O acordo entrou em vigor na sexta-feira (24) e expira na madrugada de quinta-feira (30) após ser prorrogado.

Israel recebe nova lista de reféns para serem libertados nesta quarta (29)

Israel recebe nova lista de reféns para serem libertados nesta quarta (29)

O resgate de Kfir, segundo a imprensa israelense, era considerada prioritária para o governo de Israel, e a informação de que ele estaria em poder da Jihad Islâmica complicaria as negociações, já que o acordo para a libertação dos reféns em troca de uma pausa nos ataques foi feita apenas com o Hamas.

Mulher israelense diante de cartaz de Kfir Bibas, bebê israelense de dez meses sequestrado pelo Hamas, em novembro de 2023. — Foto: Athit Perawongmetha/ Reuters




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

tribunal-proibe-uso-de-simbolos-religiosos-em-reparticoes-publicas-da-uniao-europeia

G1 Mundo

Tribunal proíbe uso de símbolos religiosos em repartições públicas da União Europeia

O tema divide e mobiliza há anos partidários dos dois campos: os que atribuem a proibição à discriminação e à violação da liberdade religiosa; e os adeptos da laicidade, que veem, sobretudo, na burca e no hijab, instrumentos da opressão da mulher. O tribunal superior da UE, com sede em Luxemburgo, analisou o caso de uma funcionária do município de Ans, que foi advertida de que não poderia usar o […]

today29 de novembro de 2023 5

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%