G1 Mundo

Hamas diz que bombardeio israelense em Rafah matou dois reféns

today14 de junho de 2024 6

Fundo
share close

A informação foi compartilhada pelas Brigadas Al-Qassam, braço armado do Hamas, no Telegram. O comunicado não deu mais detalhes nem informou quando exatamente aconteceram as mortes, apenas falaram “alguns dias atrás”. “O governo de Israel não quer que seus reféns voltem, exceto em caixões”, disse o Al-Qassam.

Israel não se manifestou sobre o anúncio do Hamas até a última atualização desta reportagem.



Israel resgata 4 reféns vivos na Faixa de Gaza

Israel resgata 4 reféns vivos na Faixa de Gaza

Operação em Nuseirat que salvou 4 reféns

O campo de refugiados de Nuseirat, onde o resgate foi feito, é uma das regiões mais populosas da Faixa de Gaza, e abriga famílias de palestinos que foram retiradas de territórios após a criação do Estado de Israel, em 1948.

O governo de Israel não havia comentado a afirmação do Hamas de que outros reféns foram mortos até a última atualização desta reportagem.

Já o vice-chefe da Jihad Islâmica palestina, Mohammad Al-Hindi, afirmou que a operação de Israel deste sábado não afetará as negociações para um acordo de cessar-fogo que estão em andamento entre o governo israelense e o Hamas.

Palestinos junto a destroços após operação de Israel em Nuseirat, no centro da Faixa de Gaza, que resultou no resgate de quatro reféns que estavam sob poder do Hamas. — Foto: Reuters via BBC




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

punicao-para-aborto-no-afeganistao,-na-siria-e-na-faixa-de-gaza-e-mais-branda-que-proposta-que-vai-a-plenario-na-camara

G1 Mundo

Punição para aborto no Afeganistão, na Síria e na Faixa de Gaza é mais branda que proposta que vai a plenário na Câmara

O projeto estipula que mulheres que fizerem um aborto passem a ser sujeitas a penas de prisão de 6 a 20 anos. Atualmente, essa pena varia entre 1 e 3 anos. Na nova redação, a lei deixaria na prática estupradores com pena menor do que as das mulheres que se submetem ao aborto. Se a medida for aprovada, o Brasil passará a ser mais punitivo com mulheres que façam abortos […]

today14 de junho de 2024 11

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%