G1 Mundo

Hamas fez mudanças no acordo de paz, mas algumas são aceitáveis, diz secretário de Estado dos EUA

today12 de junho de 2024 4

Fundo
share close

Blinken, que é mediador das negociações junto do Catar e do Egito, foi a Doha para uma rodada de conversas de urgência que tentará aprovar uma proposta para o fim da guerra na Faixa de Gaza apresentada pelos Estados Unidos.

Em entrevista coletiva com o primeiro-ministro do Catar, Mohammed Bin Abdulrahman, Blinken não revelou quais foram as mudanças pedidas. Mas, segundo fontes das negociações, o grupo terrorista pediu a inclusão de um calendário para um cessar-fogo permanente e a retirada completa das tropas israelenses do território palestino.

A proposta, apresentada pelo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, em 31 de maio, contempla um cessar-fogo inicial de seis semanas, a retirada das tropas israelenses dos principais centros urbanos de Gaza e uma troca de reféns israelenses por presos palestinos.



Depois de visitar Egito, Israel e Jordânia para pressionar o Hamas, Blinken se reunirá com a cúpula do poder no Catar, que atua como interlocutor do movimento palestino.

Na segunda-feira (10), o Conselho de Segurança da ONU aprovou uma resolução de cessar-fogo na guerra entre Israel e o grupo terrorista Hamas na Faixa de Gaza. O placar da votação foi de 14 votos a favor, zero contra e 1 abstenção, da Rússia.

O texto, elaborado pelos israelenses e proposto ao Conselho pelos Estados Unidos, pressiona o grupo terrorista a aceitar os termos. A resolução demanda “as duas partes a aplicarem plenamente os seus termos, sem demora e sem condições”.

  • A aprovação do projeto, no entanto, não significa que as partes em guerra, Israel e Hamas vão cumpri-lo. (Leia mais abaixo)
  • O acordo é previsto para ter três fases. Em uma primeira fase, o plano prevê os seguintes termos:
  • Cessar-fogo absoluto com duração de seis semanas;
  • Retirada das forças Israel das áreas densamente povoadas da Faixa de Gaza;

Libertação de reféns sequestrados durante o ataque do grupo terrorista Hamas, entre eles mulheres, idosos e feridos, em troca da libertação de prisioneiros palestinos detidos por Israel.

Após semanas trabalhando nesse acordo junto de Israel, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse acreditar que esse acordo de cessar-fogo pode levar à libertação dos reféns remanescentes em poder do Hamas na Faixa de Gaza e aos capítulos finais da guerra, iniciada em 7 de outubro de 2023 e que causou a morte de mais de 37 mil palestinos até o momento, entre combatentes e civis, segundo o Ministério da Saúde de Gaza, controlado pelo grupo terrorista.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%