G1 Mundo

Hillary Clinton, governo Dilma e exército americano: veja os vazamentos mais famosos do Wikileaks

today26 de junho de 2024 6

Fundo
share close

Como parte do acordo, Assange se declarou culpado de uma única acusação criminal de espionagem – em vez das 18 que ele enfrentava originalmente – para obter e divulgar documentos confidenciais de defesa nacional dos EUA. A sentença imposta pelos juízes vai levar em conta o tempo que Assange passou na prisão, o que permitirá que Assange volte de forma imediata à Austrália.

O site foi responsável pela revelação de milhares de documentos confidenciais, com informações sobre as guerras do Iraque e do Afeganistão, além de envolver uma denúncia de espionagem do governo americano ao governo de Dilma Rousseff. Veja alguns dos vazamentos mais famosos do site.

Ataque americano ao Iraque



Um dos casos mais famosos revelados pelo grupo é da ação de um helicóptero militar dos EUA em Bagdá, no Iraque. Na operação, ao menos 12 civis foram alvejados pelos agentes, entre eles dois jornalistas da agência de notícias Reuters, que foram mortos: o fotógrafo da Reuters Namir Noor-Eldeen e o assistente Saeed Chmagh.

Quando uma van chegou ao local para resgatar os feridos, ela também foi alvo de tiros. O ataque aéreo ocorreu em julho de 2007, mas os vídeos só foram divulgados em 2010, gerano protestos pelo mundo contra a ação das forças americanas.

Fundador do WikiLeaks, Julian Assange chega a tribunal dos EUA para audiência que pode libertá-lo em 25 de junho de 2024. — Foto: REUTERS/Kim Hong-Ji

Espionagem do governo Dilma Rousseff

Segundo a lista do WikiLeaks, os grampos foram instalados em embaixadas, no Banco Central e na residência de diplomatas. Depois da revelação, após uma reaproximação brasileira com o governo do então presidente Barack Obama, o Planalto afirmou que tratou a questão como parte de “um caso superado”, que não afetam os acordos firmados entre os países.

Principais vazamentos do site WikiLeaks, criado por Julian Assange. — Foto: Globonews/Jacqueline Santiago

Em 2010, milhares de documentos referentes à Guerra no Afeganistão também foram publicados pelo Wikileaks. Os documentos foram obtidos pela ex-analista de inteligência do Exército dos EUA, Chelsea Manning.

O material inclui assassinatos não relatados de civis afegãos pelas forças militares americanas, sejam elas resultado de ataques do grupo terrorista Talibã em estradas, ou em missões da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte) que não tiveram sucesso. .

A Casa Branca condenou os vazamentos como “irresponsáveis”. Num comunicado, o então conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, Gen James Jones, disse que as informações confidenciais “poderiam colocar em risco a vida dos americanos”.

E-mails da campanha de Hillary Clinton

Um caso que tomou a imprensa americana foi o vazamento de milhares de e-mails hackeados da conta do chefe da campanha de Hillary Clinton, John Podesta. As trocas de mensagens ocorreram antes das eleições presidenciais de 2016, e vieram a público em plena campanha eleitoral. Neste ano, Clinton perdeu para o republicano Donald Trump.

Em um dos e-mails, Podesta chamou o rival eleitoral de Hillary, o democrata Bernie Sanders, de “idiota” por criticar o acordo de Paris sobre mudanças climáticas.

Hillary Clinton durante evento da ONG Women for Women International — Foto: REUTERS/Brendan McDermid

Em outro vazamento, o site publicou mais de 570 mil mensagens de pager enviadas durante os ataques terroristas de 11 de setembro nos EUA.

As mensagens incluíam desde famílias monitorando amigos e familiares, até reações de departamentos governamentais aos ataques. Uma das mensagens afirmava que o então presidente americano havia mudado os planos e não voltaria para Washington, mas ainda não haviam decidido sobre o local para onde ele seria levado.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

evan-gershkovich:-jornalista-dos-eua-acusado-de-espionagem-e-julgado-na-russia

G1 Mundo

Evan Gershkovich: Jornalista dos EUA acusado de espionagem é julgado na Rússia

Repórter do The Wall Street Journal foi preso em 2023 acusado de coletar informações sigilosas envolvendo a guerra na Ucrânia. Rússia diz estar aberta a troca de prisioneiros. Evan Gershkovich foi colocado em caixa de vidro antes de julgamento a portas fechadas, na Rússia, em 26 de junho de 2024 — Foto: REUTERS/Evgenia Novozhenina O jornalista norte-americano Evan Gershkovich, preso na Rússia acusado de espionagem, está sendo julgado nesta quarta-feira […]

today26 de junho de 2024 8

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%