G1 Santos

Homem que participou de mega-assalto em Santos é condenado a 172 anos de prisão após exame de DNA

today1 de julho de 2024 5

Fundo
share close

Fausto Machado Ferreira, de 46 anos, é acusado de participar do crime contra a Prosegur em 4 de abril de 2016. A ação contou com bloqueios de ruas, armas de grande calibre, explosivos e confronto com a polícia.

No processo, a defesa de Ferreira negou a participação dele nos crimes e, inclusive, questionou a validade das provas. No entanto, o juiz Bruno Nascimento Troccoli, da 6ª Vara Criminal de Santos, considerou “impossível” a hipótese de que a touca não tenha sido usada pelo réu.

Durante o assalto à Prosegur, em Santos (SP), criminosos bloquearam vias, queimaram carros e trocaram tiros com a polícia — Foto: Arquivo A Tribuna Jornal



Na decisão, o magistrado discordou da alegação de Ferreira sobre o laudo ter apontado 0,01% de possibilidade do material genético na touca não ser dele.

“É muito mais do que isso”, declarou o juiz. “Indica que é 1,36250 x 10 elevado a 28, isto é, 13.624.974.301.069.730.000.000.000.000 (treze octalhões) de vezes mais provável que o perfil masculino obtido do gorro do tipo balaclava pertença ao réu do que a qualquer outro homem escolhido aleatoriamente”.

Ferreira foi interrogado na audiência de instrução e julgamento realizada virtualmente em 5 de junho. Na ocasião, ele alegou sofrer “perseguição policial” e acrescentou que a colheita do material genético foi “forçada”. Apesar disso, a versão não foi acolhida pelo juiz, que decretou a condenação por associação criminosa e latrocínio. A sentença foi publicada em 25 de junho.

Prisão e confronto genético

Material genético cedido por denunciado bateu com dados que haviam sido colhidos em máscara encontrada em carro roubado — Foto: Imagem da touca (processo) e Reprodução

Ferreira foi preso acusado de explodir caixas eletrônicos em Atibaia (SP) no ano passado, antes de ter o DNA associado aos assaltos. Foi durante a detenção no interior paulista que ele teve o material genético coletado, mediante assinatura de termo de doação voluntária de células da mucosa oral.

O DNA identificou no Banco Nacional de Perfis Genéticos (BNPG) a participação dele nos crimes em Santos e Paraguai, pois deu compatível ao material coletado em uma touca balaclava, encontrada no carro utilizado na fuga do crime de Santos, e a uma toalha recolhida em um imóvel na Ciudad del Este, em um local usado como base dos criminosos.

Imagens mostram assalto a empresa em Santos

Imagens mostram assalto a empresa em Santos

Imagens de monitoramento mostram a ação da quadrilha que assaltou a empresa de valores Prosegur, no bairro Macuco, em abril de 2016.

Suspeitos armados invadiram a empresa durante a madrugada. O vídeo mostra o caminhão utilizado pelos criminosos derrubando o portão da companhia e empurrando um carro forte, que fica parado para impedir invasões. Logo depois, os assaltantes começaram a atirar na guarita onde estavam os seguranças.

Dois suspeitos entraram no local, carregando uma placa, espécie de escudo protetor, que foi utilizada durante as explosões logo em seguida. Toda a ação durou cerca de 50 minutos.

Com a chegada da PM, houve troca de tiros e perseguição. No entanto, todos os criminosos conseguiram fugir após passarem por avenidas movimentadas da cidade e entrarem na via Anchieta, em direção a São Paulo. Dois policiais e um morador de rua morreram durante a ação.

Caminhão foi incendiado durante o crime — Foto: G1

O outro crime associado a Ferreira ocorreu em 24 de abril de 2017, na Ciudad Del Este, no Paraguai. Aproximadamente 10 pessoas, portando armas longas, efetuaram disparos contra a fachada e guarita da Prosegur, o que provocou acionamento do sistema de segurança de esfumaçamento interno.

Em seguida, houve troca de tiros com seguranças da empresa, e os criminosos explodiram um dos carros-fortes, que tombou e teve a estrutura metálica restante rompida com uma serra. Na ação, os suspeitos conseguiram roubar mais de R$ 11 milhões de dólares.

Transportadora de valores em Ciudad del Este fica a 4 quilômetros da Ponte da Amizade, na fronteira com Foz do Iguaçu — Foto: Editoria de Arte/G1

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

imagens-de-drone-mostram-sinais-de-abandono-em-mansao-de-pele-avaliada-em-r$-8-milhoes;-video

G1 Santos

Imagens de drone mostram sinais de abandono em mansão de Pelé avaliada em R$ 8 milhões; VÍDEO

O advogado de Edinho, filho do ex-jogador e responsável por administrar os bens deixados pelo pai, contrariou as versões de moradores locais ouvidos pelo g1 e afirmou que o imóvel não está abandonado. Segundo ele, a casa foi desocupada e os funcionários foram demitidos com o Atleta do Século ainda vivo. Nas imagens feitas pelo repórter cinematográfico Carlos Abelha, da TV Tribuna, emissora afiliada à Globo, é possível ver desde […]

today1 de julho de 2024 2

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%