G1 Santos

Idosa que viralizou com quarto cheio de bonecas vai se desfazer da coleção: ‘não tenho mais condições’

today26 de dezembro de 2023 1

Fundo
share close

“Eu gostaria de vender essa coleção toda para uma pessoa só, que gostasse mesmo de boneca. Tenho certeza de que ela ficaria encantada”. A frase é de Marli Mesquita Soares, de 69 anos, que após 22 anos venderá bonecas que coleciona em um quartinho no bairro Encruzilhada, em Santos, no litoral de São Paulo (SP).

Ao g1, nesta terça-feira (26), a professora aposentada explicou os motivos por trás da decisão. Segundo ela, que ficou conhecida na cidade pela vasta coleção de bonecas, lançadas dos anos 1940 em diante, a idade é um fator determinante para abandonar o hobby. Apesar disso, o carinho e o cuidado pelas aquisições continua.

“Eu cheguei a ter mais de 400 bonecas aqui nesse quarto. Era um quarto que vinham várias crianças visitar, escolas, mas hoje já não tenho mais condições pela minha idade, então está ficando muito difícil. Agora eu resolvi começar a vendê-las”, afirmou.



A reportagem conversou com a aposentada em 2012, quando a coleção ainda tinha aproximadamente 200 bonecas das décadas de 40 em diante. Mais de uma década depois, ela chegou a dobrar a quantidade, mas sente que é hora de se desapegar – mesmo que parcialmente. Caso toda a coleção seja vendida, ela transformará o recinto em um quarto convencional.

“Tem aquelas que eu sou mais apegada, mais antigas… Repetidas eu tenho bastante, então essas eu vou vendendo sim. Assim eu posso ter mais tempo para cuidar das outras”, adiantou.

A idosa começou a anunciar as vendas, pelo perfil que mantém no Facebook, na última sexta-feira (22). A expectativa é de negociar principalmente as repetidas, mas ela não descarta vender a coleção inteira por R$ 50 mil.

A boneca preferida, que chama de “Amiguinha”, ganhou do marido aos 16 anos e estreou a coleção. É a única da qual não abrirá mão.

‘Amiguinha’, primeira boneca que Marli teve, com a réplica da roupa original — Foto: Arquivo pessoal

As bonecas mais antigas de Marli são da década de 40, mais pesadas e feitas de uma massa especial. Já as mais recentes vieram dos Estados Unidos e, à época, custaram cerca de R$ 300 cada. Ela contou ter modelos que variam entre R$ 50 e R$ 7 mil.

O hobby começou quando Marli tinha 47 anos e se aposentou da escola onde trabalhava. Mas, até hoje, ela tem cuidados especiais com cada uma das bonecas. Quando ainda se dedicava semanalmente à paixão por elas, a aposentada comprava roupas, sapatos e acessórios, colocados em um guarda-roupa especial.

Agora que está pronta para iniciar a fase de desapego, Marli espera encontrar pessoas que realmente apreciem bonecas para passar os bens preciosos adiante.

Marli tem bonecas que ficam em pé e outras que até ‘choram’ — Foto: Arquivo pessoal

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

flanelinha-e-esfaqueado-e-morto-ao-tentar-apartar-briga-no-litoral-de-sp;-video

G1 Santos

Flanelinha é esfaqueado e morto ao tentar apartar briga no litoral de SP; VÍDEO

O flanelinha Washington Silva dos Santos, de 30 anos, foi morto em meio a uma discussão em Guarujá, no litoral de São Paulo. Segundo testemunhas e a irmã da vítima, ele estaria tentando apartar uma briga quando foi esfaqueado. Imagens obtidas pelo g1, nesta quarta-feira (26), mostram o momento da confusão que resultou na morte (veja acima). De acordo com o Boletim de Ocorrência, a PM foi acionada por testemunhas […]

today26 de dezembro de 2023 7

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%