Destaques

Igreja é demolida por radicais no Sri Lanka

today9 de julho de 2024 2

Fundo
share close

Em 2016, o pastor Lasith (pseudônimo) começou a pregar o evangelho em um vilarejo no Centro-Norte do Sri Lanka. Desde então, ele tem alcançado e discipulado 15 famílias cristãs, formando uma igreja em meio a uma comunidade que, em geral, não aceita o aumento dos seguidores de Jesus. Apesar das dificuldades e da perseguição, o pastor e os cristãos locais continuam firmes na fé.

Desde o início, a igreja tem tomado todas as providências para evitar reclamações das autoridades, pois são alvos frequentes de assédio. “Em várias situações, os vizinhos e policiais ameaçaram me bater quando comecei a visitar o vilarejo para pregar o evangelho”, relatou o pastor.

O vilarejo é muito pequeno e a população vive em situação precária. As casas são provisórias, feitas com quatro folhas de metal como paredes e folhas de coqueiro como telhado, com chão de terra batida e esteiras para dormir. Não há acesso a água encanada ou eletricidade, e todos buscam água em um lago próximo. Muitos não têm emprego fixo, algumas crianças não frequentam a escola, e outras perderam os pais. Nenhuma casa tem banheiro. Mesmo sem condições de ajudar a todos em suas necessidades materiais, o pastor Lasith tem pregado o evangelho e fortalecido a fé da comunidade.

As famílias que se entregaram a Jesus são iletradas, mas possuem grande fé em Cristo e ouvem a pregação da palavra de Deus com atenção. O pastor visita o vilarejo de duas a três vezes por semana, enfrentando uma estrada apertada e precária para realizar os cultos. Na primeira visita dos parceiros locais da Portas Abertas, as crianças correram e estenderam as esteiras que usam para dormir embaixo de uma árvore, onde ouvem o pastor pregar. “É assim que fazemos os cultos aos domingos, nos reunimos embaixo dessa árvore”, contou o pastor.

Em 2022, o pastor Lasith e os cristãos começaram a construção de um pequeno salão para os cultos, mas não tinham dinheiro suficiente para terminar a obra. Pouco depois, um grupo de radicais da comunidade atacou e demoliu o espaço. Além da destruição, os cristãos foram convocados a deixar a região, enfrentando pressão diária para sair do vilarejo. Mesmo assim, nenhum deles abandonou a fé em Jesus e continuam com a mesma alegria do dia em que se converteram.



Parceiros locais da Portas Abertas têm dado suporte ao pastor Lasith para continuar o ministério. “O primeiro passo foi distribuir lâmpadas recarregáveis com energia solar para as famílias. Nós também ajudamos o pastor a organizar estudos bíblicos na região”, contou um parceiro local.

O pastor relatou como as lâmpadas têm impactado a comunidade. Duas famílias budistas também foram abençoadas com as lâmpadas de energia solar. “Todos ficaram muito agradecidos. Antes, muitos eram contrários aos cultos, mas depois que as lâmpadas foram entregues, eles não têm interrompido os cultos”, disse o pastor Lasith.




Todos os créditos desta notícia pertecem a Destaques.

Por: Redacao

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

surfista-morto-apos-levar-choque-nao-queria-ir-‘para-um-buraco’-e-ganha-cerimonia-de-despedida-na-praia

G1 Santos

Surfista morto após levar choque não queria ir ‘para um buraco’ e ganha cerimônia de despedida na praia

A família do surfista Willian Damasceno, que morreu após sofrer uma descarga elétrica, aos 31 anos, lançou as cinzas dele ao mar para atender a um desejo revelado por ele à esposa antes de morrer em Praia Grande, no litoral de São Paulo. A cerimônia de despedida foi gravada e mostra amigos e familiares reunidos na praia durante a homenagem comovente (assista acima). Bruna Oliveira Damasceno, de 28 anos, estava […]

today9 de julho de 2024 4

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%