Gospel Prime

Joe Biden promete vetar projeto que impede uso de dinheiro público em abortos

today26 de julho de 2023 5

share close

O presidente Joe Biden está ameaçando vetar um projeto de lei de gastos republicano que inclui a anulação de sua política de “turismo de aborto” militar que obriga os americanos a financiarem abortos. Os republicanos da Câmara acrescentaram com sucesso uma emenda a um projeto de lei de gastos de defesa para bloquear a política.

Sendo assim, o projeto de lei de autorização de defesa nacional de $886 bilhões para o ano fiscal de 2024 foi aprovado por votação bipartidária de 219 a 210, com quatro republicanos votando contra e quatro democratas votando a favor. Três republicanos e dois democratas não votaram.

Nesse sentido, o projeto de lei de defesa nacional agora vai para o Senado, onde os democratas se opõem firmemente à disposição pró-vida. Ainda não se sabe se o Senado aprovará o projeto, tentará eliminar a disposição pró-vida ou aprovará sua própria versão. Caso o Congresso aprove o projeto, Biden diz que irá vetá-lo, assim como outro projeto sobre políticas transgênero.

“As propostas também incluem numerosas novas disposições partidárias com consequências devastadoras, incluindo prejudicar o acesso aos cuidados de saúde reprodutiva, ameaçar a saúde e a segurança de americanos lésbicas, gays, bissexuais, transgêneros, queer e intersexuais (LGBTQI+), pôr em perigo a igualdade no casamento, prejudicar iniciativas cruciais de combate às mudanças climáticas e impedir a administração de promover a diversidade, equidade e inclusão”, disse a Casa Branca.

De acordo com Life News, impopular e provavelmente ilegal, a política de Biden exige que os contribuintes financiem custos de viagem e licença remunerada para membros do serviço militar e suas famílias fazerem abortos eletivos. Como resultado, líderes republicanos estimam que mais 4.100 bebês por nascer poderiam ser mortos em abortos a cada ano.



Em resposta, os republicanos da Câmara conseguiram aprovar a emenda Jackson-Roy ao projeto. A Câmara votou 221 a 213 e 222 a 210 a favor de emendas ao projeto para proibir o Pentágono de pagar despesas relacionadas ao aborto de bebês por nascer e de financiar procedimentos de transição de gênero.

“A minha emenda para impedir Biden de usar o Departamento de Defesa para pagar viagens para abortos foi aprovada. Essa política é ilegal e em breve será extinta. Este é um grande dia para o nosso país”, disse o deputado republicano pró-vida Ronny Jackson após a votação.

Desse modo, Jackson afirmou que a administração Biden ignorou a lei existente e deu permissão ao Departamento de Defesa para tomar essa medida ilegal. Isso deixou os republicanos da Câmara sem escolha a não ser tomar medidas corretivas e aprovar legislação adicional. Pesquisas mostram consistentemente forte oposição pública ao financiamento público de abortos.




Todos os créditos desta notícia pertecem a Gospel Prime.

Por: Redacao

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

G1 Santos

Presos fazem motim e são contidos por agentes penitenciários em CPP de Mongaguá, SP

Presos do Centro de Progressão Penitenciária (CPP) em Mongaguá, no litoral de São Paulo, iniciaram um motim após agentes penitenciários flagrarem a entrada de produtos ilícitos na unidade. O tumulto foi contido pela equipe, mas um dos profissionais ficou ferido. O caso aconteceu nesta quarta-feira (25), durante o banho de sol dos reeducandos dos pavilhões pares do CPP Dr. Rubens Aleixo Sendin. De acordo com o Boletim de Ocorrência (BO), um preso tentou escalar os alambrados e foi notado por […]

today26 de julho de 2023 5

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%