G1 Mundo

Justiça dos EUA entende que Starbucks demitiu gerente por ser branca e manda a rede pagar R$ 123 milhões a ela

today14 de junho de 2023 14

Fundo
share close

A rede Starbucks foi condenada na segunda-feira (12) a pagar US$ 25,6 milhões (R$ 123 milhões) a Shannon Phillips, uma ex-gerente de loja, porque, de acordo com a Justiça dos Estados Unidos, ela foi demitida por ser branca.

A história começa em abril 2018, em uma unidade da Starbucks na cidade de Filadélfia, no estado da Pensilvânia.

Dois homens negros estavam em uma loja da rede aguardando uma terceira pessoa. Um dos dois pediu para usar o banheiro, mesmo sem ter consumido nada. Os funcionários não permitiram e, depois de um tempo, pediram para que os dois homens deixassem a cafeteria. Os dois se recusaram a ir embora, e, então, um funcionário chamou a polícia.



Veja abaixo um vídeo do incidente de 2018.

Starbucks é acusada de racismo após detenção de negros em loja na Filadélfia

Starbucks é acusada de racismo após detenção de negros em loja na Filadélfia

Os policiais algemaram os dois homens negros e os tiraram da cafeteria. Isso foi gravado em vídeo e as imagens foram muito compartilhadas. Depois de protestos, a Starbucks fez treinamentos para seus funcionários.

Shannon Phillips era a gerente regional da Starbucks e foi demitida. O gerente da unidade onde houve o incidente, que era negro, manteve o emprego.

A gerente processa a rede

Em 2019, Phillips processou a Starbucks, dizendo que a raça dela foi um fator determinante para a demissão.

Na Justiça, os representantes dela afirmaram que a diretoria da Starbucks procurou um “bode expiatório” para demitir e mostrar que a empresa estava tomando medidas após o caso dos dois homens presos na Filadélfia.

Na segunda-feira, um júri da Justiça Federal dos EUA concordou com a argumentação dos advogados dela. A Starbucks, de acordo com a decisão, violou direitos civis e uma lei estadual de Nova Jérsei, o estado onde houve o processo, que proíbe discriminação com base na raça (uma lei que geralmente protege pessoas de grupos minoritários).

A Starbucks ainda não se pronunciou sobre o caso.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

o-maior-exodo-de-refugiados-nas-americas:-pedidos-de-asilo-por-venezuelanos-triplicaram,-diz-onu

G1 Mundo

O maior êxodo de refugiados nas Américas: pedidos de asilo por venezuelanos triplicaram, diz ONU

O número de venezuelanos em busca de asilo no exterior quase triplicou em 2022, de acordo com a agência de refugiados da Organização das Nações Unidas (ONU), que mostrou que mais de dois em cada cinco novos requerentes de asilo globalmente no ano passado vieram da América Latina e do Caribe. Os pedidos de asilo por venezuelanos aumentaram 186% no ano passado, para 264 mil. O pais passa por uma […]

today14 de junho de 2023 9

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%