G1 Santos

Lhama Giovanni é levada pela primeira vez à praia e rouba a cena; VÍDEO

today10 de julho de 2024 2

Fundo
share close

Uma lhama roubou a cena na orla de Bertioga (SP). Giovanni, como é chamado o animal, tem cinco meses e estava com o tutor e empresário Luis Abrão, de 47 anos, que é morador da cidade. Imagens obtidas pelo g1, nesta quinta-feira (10), mostram o filhote na praia, de coleira, interagindo com a população (assista o vídeo acima).

De acordo com Abrão, Giovanni nasceu no sítio dele em Mogi das Cruzes (SP), onde cria mais três fêmeas e outro macho, que já são adultos e não domesticados, diferentemente do filhote.

“[Quero que] tenha convívio com crianças e adultos para tornar ele [lhama Giovanni] mais dócil e que quem nunca viu tenha a oportunidade de conhecer”, disse.



De acordo com Arão, essa foi a primeira vez que a lhama saiu do sítio para passear em Bertioga, mas pretende fazer isso mais vezes. “Minha intenção é levar em escolas, Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) e eventos onde tenha crianças”.

Lhama é levada para passear na orla de Bertioga (SP) e desperta a atenção de quem passa pelo local — Foto: Gustavo Dutra

Ele contou que pretende fazer uma mini fazendinha para que as pessoas visitem e interajam com o animal. “Muitas crianças, jovens e adultos ficam encantados ao ver ela [lhama] passeando, principalmente pelo comportamento dócil que tem com as pessoas. [O Giovanni] beija e coloca o rosto colado”.

A inspiração para levar a lhama à praia surgiu por meio de uma amiga, que tem uma alpaca macho e mora no bairro Boraceia, em Bertioga. No sítio, ele também tem mini cabritos e cabras, mini pig [porco], carneiros, ovelhas, búfalo albino, cisne negro, gansos, marrecos, avestruz, entre outros animais.

🚿 Banho a cada 30 dias

🪮 Escovação diária

🧹 Limpeza do espaço onde dorme

🚰 Limpeza diária dos cochos [facilita o acesso dos animais à comida] e troca de água

O empresário aconselha adquirir uma lhama diretamente com um criador para ter a certeza de que o animal é saudável e de criação responsável. O animal, segundo ele, come ração para cabrito ou cavalo, capim e pasto. Os filhotes comem aproximadamente 600 gramas por dia e os adultos 1,2 kg.

De acordo com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), lhamas são animais domésticos no Brasil, por isso, dispensam autorização para criação ou comercialização.

Empresário de Bertioga (SP) resolve domesticar lhama e levá-la para passear na orla para animal ter contato com as pessoas — Foto: Luis Abrão

O biólogo Ricardo Samelo disse que a lhama é típica da América do Sul. “Estima-se que a sua domesticação ocorreu há cerca de 4.500 anos pelos povos pré-colombianos, derivando de guanacos e vicunhas, que vivem em locais frios e inóspitos, geralmente associados a região dos Andes”.

A ancestralidade e rusticidade da lhama, de acordo com o biólogo, fazem com que o animal seja resistente e adaptável, vivendo bem no clima do Brasil. “Devemos lembrar que é um animal grande, que necessita de espaço e cuidados que se assemelham a animais de grande porte, como cavalos”.

De acordo com Samelo, o ideal é criar a lhama em chácaras, sítios ou fazendas. “O manejo e alimentação costumam ser fáceis, pois se trata de um animal bem rústico. Elas pastam como vacas e comem capim, feno, silagem, legumes e rações apropriadas para a espécie”.

O biólogo disse, ainda, que cuidados veterinários são necessários às lhamas, assim como para qualquer espécie criada em cativeiro. “As lhamas se assemelham as alpacas, mas algumas diferenças são notadas, como o porte, a pelagem e até o tamanho das orelhas”.

As alpacas, de acordo com Samelo, são menores que as lhamas, com pelagem mais longa e mais macia, além de terem as orelhas mais curtas. “Diferentes das orelhas da lhama que são mais compridas e levemente curvadas na ponta”.

Empresário de Bertioga (SP) resolve domesticar lhama e levá-la para passear na orla para animal ter contato com as pessoas — Foto: Reprodução

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

surfista-conversou-com-a-esposa-sobre-ser-cremado-antes-de-morrer-no-litoral-de-sp:-‘quero-estar-no-mar’,-disse-ele

G1 Santos

Surfista conversou com a esposa sobre ser cremado antes de morrer no litoral de SP: ‘quero estar no mar’, disse ele

Willian Damasceno, o surfista que morreu após levar uma descarga elétrica, aos 31 anos, disse à esposa que não gostaria de ser enterrado caso algo acontecesse com ele. Ele comunicou o desejo de ter as cinzas lançadas ao mar meses antes de morrer em Praia Grande, no litoral de São Paulo. Segundo Bruna Oliveira Damasceno, o marido disse que queria 'estar no mar'. Willian morreu na tarde de 22 de […]

today10 de julho de 2024 1

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%