Destaques

Líderes evangélicos do Sudão dizem que se sentem esquecidos

today9 de julho de 2024 4

Fundo
share close

A luta que já dura mais de um ano no Sudão resultou no deslocamento de milhões de pessoas, com agências de ajuda alertando sobre a iminência de uma fome em massa. Líderes e analistas da Open Doors afirmam que é urgente a intervenção da comunidade internacional.

“O Sudão abriga o maior deslocamento do mundo, com quase 9 milhões de pessoas em fuga, e está enfrentando a maior crise de fome do mundo, mas não está recebendo a atenção e a resposta que deveria em comparação a outras crises”, declarou Illia Djadi, analista sênior da Open Doors para Liberdade de Religião ou Crença na África Subsaariana.

Em abril de 2023, o Sudão mergulhou em uma guerra civil entre as Forças Armadas do Sudão e o Rapid Support. Durante uma visita à região no início deste mês, Djadi encontrou líderes da igreja que se sentem esquecidos. “A situação está se deteriorando a cada dia e não há resposta do mundo. Há um forte sentimento de abandono”, disse ele.

A situação é particularmente terrível para os cristãos sudaneses. Viver em um país de maioria muçulmana, que está classificado como número 8 na Open Doors World Watch List, é difícil o suficiente, mas a violência adicionou pressão extra. “Não há segurança, nem proteção. Nem das partes em guerra nem dos oportunistas que usarão essa situação para promover suas próprias agendas”, disse Djadi. “Cristãos, igrejas foram atacadas com impunidade.”

Até agora, mais de 150 igrejas foram danificadas ou destruídas, seja por serem alvos ou devido à violência contínua. Os cristãos, forçados a deixar suas casas, muitas vezes precisam fugir várias vezes e perder o contato com outros membros da pequena comunidade cristã.



A maioria dos deslocados fugiu para outras áreas no Sudão. Para essas pessoas deslocadas internamente (IDPs), o risco “continua alto”, diz Rachel Morley, pesquisadora da Open Doors. “Enquanto os refugiados se afastam do perigo imediato e encontram refúgio em lugares onde recebem um nível de proteção (internacional), os IDPs não têm isso. Eles são menos protegidos e ainda correm um risco maior porque permanecem em um ambiente semelhante.”

Para os cristãos, sua fé é uma vulnerabilidade adicional. Onde eles encontram abrigo, eles podem enfrentar discriminação daqueles ao seu redor, bem como na distribuição de ajuda. Como resultado, uma grande parte da Igreja está em fuga e incapaz de prover para seu povo.

“Estamos clamando por socorro e pela intervenção da comunidade internacional para que nossos irmãos e irmãs no Sudão não sejam esquecidos”, disse Djadi.




Todos os créditos desta notícia pertecem a Destaques.

Por: Redacao

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

em-meio-a-furacao-politico,-biden-recebe-lideres-da-otan-para-cupula-de-75-anos-da-alianca

G1 Mundo

Em meio a furacão político, Biden recebe líderes da Otan para cúpula de 75 anos da aliança

Apesar da guerra na Ucrânia estar no centro das discussões, o objetivo do encontro é celebrar o aniversário de 75 anos da aliança. As pautas do evento que começa nesta terça-feira (9) e terá três dias de duração incluem a busca por tranquilizar a Ucrânia quanto a durabilidade do apoio do grupo na defesa frente à invasão russa. Além disso, de acordo com o Departamento de Defesa dos Estados Unidos, […]

today9 de julho de 2024 4

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%