G1 Mundo

Lula avalia ir a Nova York em outubro para reunião do Conselho de Segurança da ONU

today23 de junho de 2023 9

Fundo
share close

Integrantes do governo brasileiro informaram ao g1 que a ida do presidente à reunião pode acontecer, mas que ainda não há definição.

O Conselho de Segurança da ONU é formado por 15 países. Cinco desses países ocupam os chamados assentos permanentes, e os outros dez, de forma temporária, os chamados assentos não-permanentes – o que é o caso do Brasil, cujo mandato acaba em dezembro deste ano.

A presidência do conselho é rotativa, isto é, a cada período, um país comanda o grupo e, em outubro, a presidência vai caber ao Brasil (leia detalhes mais abaixo).



Antes da viagem de outubro, em setembro, Lula irá a Nova York para participar da Assembleia Geral das Nações Unidas, tradicionalmente aberta com o discurso do presidente brasileiro.

Críticas à composição do conselho

Lula costuma criticar em fóruns internacionais a atual composição do Conselho de Segurança da ONU, afirmando que o grupo representa a geopolítica da década de 1940, quando as Nações Unidas foram criadas, e não a atual.

Diante disso, na opinião do presidente, precisa contar com mais integrantes de outras regiões.

Em frequentes discursos, Lula pleiteia que o conselho passe a ter países da América Latina, da África e mais países da Ásia e da Europa. O presidente costuma citar, por exemplo, Brasil, África do Sul, Alemanha, Índia e Japão.

“É importante que a gente tenha noção de que a gente não pode continuar com as instituições funcionando de maneira equivocada. Mesmo o Conselho de Segurança da ONU, os membros permanentes não representam mais a realidade política de 2023. Se representaram em 1945, em 2023 é preciso mudar”, afirmou o presidente.

“A ONU precisa voltar a ter representatividade, a ter força política. A ONU foi capaz de criar o Estado de Israel em 1948 e não é capaz de resolver o problema da ocupação do Estado Palestino”, acrescentou.

ONU de 1945 ‘não existe mais’

Em maio deste ano, ao conceder entrevista à imprensa após ter participado da reunião do G7 no Japão, Lula também defendeu a reforma.

“A ONU de 1945 já não existe mais. Ela foi criada para manter a paz no mundo, mas ela não tem mais autoridade para manter a paz no mundo porque são os próprios membros do Conselho de Segurança que fazem guerra”, declarou Lula na ocasião.

'Se a gente não mudar as instituições, o mundo vai continuar o mesmo', diz Lula em Paris

‘Se a gente não mudar as instituições, o mundo vai continuar o mesmo’, diz Lula em Paris

Conselho de Segurança da ONU

O Conselho de Segurança da ONU é formado por 15 países, dos quais cinco têm assento permanente (por ordem alfabética):

  • China;
  • Estados Unidos;
  • França;
  • Reino Unido;
  • Rússia.

Os outros dez assentos são ocupados por países de forma rotativa. Entre os atuais países que ocupam esses assentos, estão:

  • Brasil;
  • Equador;
  • Suíça;
  • Moçambique;
  • Emirados Árabes.

A presidência do grupo é rotativa e atualmente é exercida pelos Emirados Árabes.

Entre as funções do Conselho de Segurança da ONU, então:

  • manter a paz e a segurança internacionais de acordo com os princípios e propósitos das Nações Unidas;
  • investigar qualquer disputa ou situação que possa levar a atritos internacionais;
  • recomendar métodos para ajustar tais disputas ou os termos do acordo;
  • formular planos para o estabelecimento de um sistema de regulamentação de armamentos.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

homem-condenado-por-matar-diretor-de-presidio-no-litoral-de-sp-e-preso-mais-de-20-anos-apos-crime

G1 Santos

Homem condenado por matar diretor de presídio no litoral de SP é preso mais de 20 anos após crime

Um homem procurado pela Justiça, de 41 anos, foi preso em Praia Grande, no litoral de São Paulo, após uma denúncia anônima. David Teles Pereira é acusado por diversos crimes e, inclusive, condenado por matar em 2002 o diretor do Centro de Progressão Penitenciária (CPP) 'Dr Rubens Aleixo Sendin', em Mongaguá, também no litoral paulista. A Polícia Militar informou que o homem foi preso na tarde de quinta-feira (22) na […]

today23 de junho de 2023 10

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%