G1 Mundo

Lula diz ter ‘firme convicção’ de que é preciso ‘reavivar compromisso com a integração sul-americana’

today30 de maio de 2023 6

Fundo
share close

A reunião foi organizada pelo presidente Lula com o intuito de retomar a cooperação entre as nações vizinhas.

No discurso, Lula ressaltou a vontade do país de retomar instrumentos de integração regional, como a União de Nações Sul-Americanas (Unasul) e a Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac).

“A América do Sul tem diante de si, mais uma vez, a oportunidade de trilhar o caminho da união. E não preciso recomeçar do zero. A Unasul é um patrimônio coletivo. Lembremos que ela está em vigor, sete países ainda são membros plenos. É importante retomar seu processo de construção, mas, ao fazê-lo, é essencial avaliar criticamente o que não funcionou e levar em conta transições”, disse.



  • projetos de infraestrutura e fomento;
  • enfrentamento às mudanças climáticas;
  • cobertura vacinal;
  • constituição de um mercado de energia;
  • programas de mobilidade acadêmica;
  • e na área de defesa.

Além da ‘divergência ideológica’

Segundo o presidente brasileiro, nos últimos anos, o governo permitiu que diferenças ideológicas afastassem o Brasil dos fóruns regionais de integração.

“Na região, deixamos que as ideologias nos dividissem e interrompessem o esforço de integração. Abandonamos canais de diálogos e mecanismos de cooperação e, com isso, todos perdemos”, disse Lula.

“Tenho firme convicção de que precisamos reavivar nosso compromisso com a integração sul-americana. Quando assumi a presidência, em 1º de janeiro deste ano, a América do Sul voltou ao centro da atuação diplomática brasileira”, seguiu.

“Os elementos que nos unem estão acima de divergências de ordem ideológica. Da Patagônia e do Atacama à Amazônia, do Cerrado e dos Andes ao Caribe, somos um vasto continente banhado por dois oceanos. Somos uma entidade humana, histórica e cultural, econômica e comercial, com necessidades e esperanças comuns”, continuou Lula.

Guerra, pandemia e atos golpistas

No discurso de abertura da Cúpula de presidentes dos países da América do Sul, como é chamado o evento, Lula também citou os impactos da invasão da Rússia sobre o território da Ucrânia para os países sul-americanos.

Enumerou, ainda, a pandemia da Covid e atos antidemocráticos no Brasil e no exterior como causas de retrocessos para indicadores sociais na América do Sul.

“Todos sofremos as consequências da guerra. O conflito da Ucrânia desestabilizou o mercado de energia e fertilizantes, e provocou a volatilidade dos preços dos alimentos, deteriorando nossas condições de vida. Quando as cadeias de suprimentos globais foram afetadas por esses fatores, nossas carências em infraestrutura e nossas vulnerabilidades externas foram expostas”, disse.

“A região parou de crescer, o desemprego aumentou e a inflação subiu. Alguns dos principais avanços sociais logrados na década passada foram perdidos em pouco tempo. No Brasil e em outros países, recentes ataques às instituições democráticas, inclusive às sedes dos poderes constitucionais, nos ofereceram uma trágica síntese da violência de grupos extremistas que se valem de plataformas digitais para promover campanhas de desinformação e discursos de ódio”, seguiu.

Durante sua declaração, Lula ainda citou a candidatura conjunta de Uruguai, Paraguai, Chile e Argentina para sediar a Copa do Mundo de 2030.

De acordo com o presidente brasileiro, a iniciativa “talvez seja a expressão mais acabada dessa identidade sul-americana em construção” e da capacidade da região de “cooperar para além do campo de futebol e de nossas próprias fronteiras”.

No discurso, Lula também enumerou algumas diretrizes que considera importantes para a reforma dos mecanismos de integração regional, como a Unasul.

“Nossas decisões só terão legitimidade se tomadas e implementadas de forma democrática, mas a regra do consenso poderia estar restrita a temas substantivos, evitando que impasses na esfera administrativa paralisem nossas atividades”, declarou.

Lula também pregou que esses fóruns não se restrinjam aos governos, mas incluam empresários, acadêmicos, parlamentares e a sociedade civil.

A reforma de mecanismos como Unasul e Celac deve ser um dos temas tratados ao longo do dia na Cúpula do Sul.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

italia-encerra-buscas-por-mortos-em-naufragio-com-imigrantes;-ao-menos-94-pessoas-morreram-no-acidente

G1 Mundo

Itália encerra buscas por mortos em naufrágio com imigrantes; ao menos 94 pessoas morreram no acidente

As autoridades italianas disseram nesta terça-feira (30) que encerraram a busca por mortos do naufrágio, que aconteceu perto da costa da Itália, em 26 de fevereiro. Ao menos 94 pessoas morreram no acidente. O governo local disse que estava fechando o centro de coordenação de buscas, mas reativaria a unidade se mais corpos fossem avistados. 48 dos corpos recuperados foram levados para o Afeganistão para o enterro. Os outros foram […]

today30 de maio de 2023 8

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%