G1 Mundo

Lula evita comentar sobre grupo de mercenários que traiu Putin na guerra na Ucrânia

today24 de junho de 2023 13

Fundo
share close

O grupo Wagner era aliado do presidente Russo, Vladimir Putin, e contribuiu para a conquistas de territórios da Ucrânia. No entanto, na noite desta sexta-feira (23), sábado no horário local, o chefe do grupo de mercenários, Yevgeny Prigozhin, afirmou que pretende depor o comando militar da Rússia e tomar o controle de instalações militares de duas cidades russas. Putin enxergou a ação como uma ‘facada nas costas’.

Questionado sobre o tema em uma coletiva de imprensa neste sábado (24), em Paris, na França, Lula disse que não tinha as informações necessárias para comentar a rebelião e que talvez tratasse do tema quando retornasse ao Brasil.

“Não, eu não posso falar. Lamentavelmente eu não posso falar porque eu não tenho as informações necessárias para te falar. Eu, quando chegar ao Brasil, que eu me informar de tudo o que aconteceu ontem, que tiver várias informações, aí eu posso te falar, mas agora seria chutar, sabe, de forma precipitada uma informação que eu não tenho. Eu ouvi dizer, mas não tenho informação e eu pretendo não falar de uma coisa tão sensível sem ter as informações necessárias”, afirmou.



Lula disse ainda que não sabia “o tamanho da rebelião” e que iria conversar com “muita gente” a respeito do tema.

“Eu não sei o tamanho da rebelião. Eu só estou te pedindo o seguinte: quem sabe quando eu voltar para o Brasil, no dia seguinte eu já tenha todas as informações possíveis porque eu vou conversar com muita gente a respeito ‘dessa chamada rebelião'”, afirmou.

O presidente também foi questionado a respeito da repercussão internacional sobre seus posicionamentos em relação a Guerra da Ucrânia.

Recentemente, Lula tem tentando exercer um papel de mediador entre Rússia e Ucrânia, e já afirmou que quer apresentar uma proposta de diálogo para a paz. Neste sábado, o presidente reforçou que é “contra a guerra” e quer a paz.

“O meu pensamento é simples: eu sou contra a guerra. Eu quero paz. É isso. Nós condenamos a invasão da Rússia ao território da Ucrânia. Isso já está declarado e votado na ONU. Mas isso não implica que eu vou ficar fomentando a guerra. Eu quero criar condições para que os dois países se sentem. Por enquanto, eles não querem se sentar porque cada um está achando que vai ganhar, mas em algum algum momento eles vão sentar. E vão precisar de interlocutores com muita responsabilidade para tentar negociar. E o Brasil está participando”, afirmou o presidente.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

como-fundador-do-grupo-wagner-foi-de-chef-de-putin-a-fornecedor-de-mercenarios-para-guerra

G1 Mundo

Como fundador do grupo Wagner foi de chef de Putin a fornecedor de mercenários para guerra

Durante meses, o nome de Prigozhin foi associado ao papel cada vez mais central que seu grupo mercenário está desempenhando na guerra na Ucrânia. Ele recrutou milhares de criminosos para o seu grupo nas prisões da Rússia. Não importa quão graves sejam os crimes dos condenados, desde que eles concordem em lutar na Ucrânia. Antes de a Rússia iniciar o que se tornou o pior conflito armado na Europa desde […]

today24 de junho de 2023 13

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%