G1 Mundo

Lula relembra candidatos que tentaram várias vezes antes de vencer uma eleição e cita Le Pen: ‘Está chegando pra ela’

today1 de julho de 2024 3

Fundo
share close

Lula citou Le Pen após lembrar as eleições que ele participou antes de ser eleito pela primeira vez em 2002. Na sequência, ele mencionou, como exemplo, a política Margarida Salomão, que foi eleita prefeita de Juiz de Fora, em 2020, na quarta tentativa.

“Chegou para mim [a hora de vencer]. Eu fui visitar Juiz de Fora, agora. A prefeita [Margarida Salomão] perdeu quatro vezes também, chegou para ela. A Le Pen na França, cara. A Le Pen depois de perder tanto, ela e o pai dela, está chegando pra ela. As coisas são assim. A gente tem que teimar”, disse.

Lula entrou no assunto das eleições parlamentares na França ao ser questionado sobre a possibilidade do deputado federal Zé Neto (PT-BA) se eleger prefeito de Feira de Santana. O radialista que entrevistou Lula disse que Zé Neto deve disputar a prefeitura pela quinta vez em busca da primeira vitória.



Eleições na França: avanço da extrema direita ameaça governo de Emmanuel Macron

Eleições na França: avanço da extrema direita ameaça governo de Emmanuel Macron

Na entrevista, Lula também foi questionado sobre o processo eleitoral nos Estados Unidos. O petista, que já declarou torcida para o atual presidente Joe Biden na disputa contra Donald Trump, disse que Biden e os democratas devem avaliar se mantêm a candidatura à reeleição.

“Eu acho que o Biden ele tem um problema, sabe, que ele está andando mais lentamente, ele está demorando mais para responder as coisas, possivelmente esteja pensando. Mas quem sabe da condição do Biden é o Biden”, disse Lula.

“O Biden é que tem que avaliar. Se ele está bem, ele é candidato, tudo bem, ele achar que está em condições, ótimo. Mas se ele não está, é melhor eles tomarem essa decisão. Eu fico torcendo pelo Biden. Deus queira que ele esteja bem de saúde, Deus queira que ele possa concorrer. Senão, o Partido Democrata pode indicar outra pessoa”, completou o presidente brasileiro.

Lula disse considerar as eleições nos EUA “muito importantes para o resto do mundo”. E que, dependendo de quem ganhe, “a gente pode melhorar ou piorar o mundo”. “É importante levar em conta que é preciso melhorar o mundo. O mundo precisa ficar mais humano, solidário, mais fraterno”, afirmou.

O petista disse que Sarney, apesar da idade avançada, está “preocupado com as eleições de 2026”. Já sobre FHC, disse que a cabeça do tucano “está boa”, embora esteja “falando lentamente por causa da idade”.

O presidente contou que seu assessor especial, Celso Amorim, esteve na Ucrânia e na Rússia para checar a viabilidade de uma negociação de paz na qual o próprio Lula poderia se empenhar.

“Ver se há uma brecha para a gente começar a discutir um acordo, uma paz. Quando tiver essa brecha, o Lulinha entra para ajudar a resolver. Mas, participar da guerra, não participarei”, disse Lula.

Lula reafirmou que a inflação no país está baixa e que a atual taxa básica de juros está acima do necessário.

O presidente também criticou o fato de executar metade do mandato com um presidente do Banco Central indicado pelo governo anterior – Roberto Campos Neto foi indicado por Jair Bolsonaro (PL).

“Correto é que entre um presidente e indique o presidente do Banco Central. Não dá para o cidadão ter mandato e ser mais importante do que o presidente da República. Isso que está equivocado”, disse.

A lei de autonomia do Banco Central, aprovada na gestão Bolsonaro, determina mandatos de quatro anos para os presidentes da instituição. O mandato de Campos Neto se encerra no final de 2024. Lula indicará um novo nome, que terá de ser aprovado pelo Senado.

Na entrevista, Lula também voltou a afirmar que não fará mudanças na política de salário mínimo e que não pretende desvincular as aposentadorias do mínimo.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

Notícias

Suprema Corte dos EUA decide que Trump pode ter direito a imunidade

A decisão, vista como uma vitória para Trump, deve atrasar os julgamentos dos processos, que podem acontecer apenas depois das eleições presidenciais, em 5 de novembro. O ex-presidente é candidato pelo Partido Republicano. A decisão não concede imunidade automática para Trump, mas aponta que ex-presidentes dos EUA podem ser imunes de processos na esfera criminal. Com isso, o caso voltará a tribunais da 2ª instância, que terão de julgar se Trump é imune em cada um dos três processos. Por […]

today1 de julho de 2024 5

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%