G1 Mundo

Luta pelo direito ao aborto nos EUA não terminou, afirma Biden

today23 de janeiro de 2023 21

Fundo
share close

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e sua vice, Kamala Harris, prometeram neste domingo (22) lutar pelo direito ao aborto, na data em que se completam 50 anos da sentença da Suprema Corte que garantiu esse direito até a sua revogação, meses atrás.

A luta pelo direito ao aborto não terminou, disse Biden cinco décadas após a decisão histórica da Suprema Corte, medida revertida pelo mesmo tribunal em junho passado. “Hoje deveria ter sido o 50º aniversário de Roe v. Wade”, tuitou o presidente democrata, referindo-se à decisão original.

“Ao invés disso, os funcionários republicanos do Maga (apoiadores do ex-presidente Donald Trump, com seu slogan ‘Make America Great Again’) travam uma guerra contra o direito das mulheres de tomar suas próprias decisões sobre sua saúde”, lamentou Biden. “Não deixei de lutar para proteger os direitos reprodutivos das mulheres e nunca pararei.”



Em junho passado, a mais alta corte americana pôs fim a essa jurisprudência, considerando que o direito à interrupção voluntária da gravidez não estava protegido pela Constituição.

Em seus tuítes de domingo, Biden insiste que “o direito de escolha das mulheres não é negociável” e pede ao Congresso que aprove uma legislação que utilize os termos da jurisprudência “Roe v. Wade”.

A vice-presidente americana, Kamala Harris, somou-se à reivindicação. “Como se atrevem?”, vociferou durante um discurso na Flórida, ao mencionar os congressistas republicanos que querem restringir e suprimir o direito ao aborto em todo o país.

Kamala criticou “as leis elaboradas por extremistas em alguns estados, incluindo a Flórida”, para restringir a interrupção voluntária da gravidez. “Não iremos recuar. Sabemos que a batalha não estará terminada enquanto não garantirmos esse direito” em um texto federal, disse a vice-presidente democrata.

A organização de planejamento familiar Planned Parenthood aponta que a maioria dos americanos é a favor do direito ao aborto, e estima que uma em cada três mulheres nos Estados Unidos vive em um estado que restringiu esse direito.

A presidente da organização, Alexis McGill Johnson, estimou que “o que acontece com as pacientes e a equipe médica é terrível, mas também impulsiona o nosso movimento. Estaremos lá e lutaremos. Todos os dias.”

A Casa Branca prometeu hoje proteger o acesso às pílulas à base de mifepristona, que permitem interromper a gravidez nas primeiras semanas. Também neste domingo, várias manifestações foram realizadas no país para lembrar a sentença Roe vs. Wade.

Manifestantes protestam em frente à Suprema Corte contra revogação de direito ao aborto

Manifestantes protestam em frente à Suprema Corte contra revogação de direito ao aborto




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

bombeiro-salva-cinco-de-afogamento-no-litoral-de-sp-apos-ouvir-pedido-de-socorro-do-apartamento-onde-mora

G1 Santos

Bombeiro salva cinco de afogamento no litoral de SP após ouvir pedido de socorro do apartamento onde mora

Um bombeiro que estava de folga salvou cinco vítimas de afogamento na praia da Enseada, em Bertioga, no litoral de São Paulo. Ao g1, nesta segunda-feira (23), o soldado Willian Veja Soares, de 25 anos, disse que estava na sacada do apartamento quando avistou uma mulher se afogando e desceu para socorrê-la. Após o resgate, ele viu quatro pessoas de duas famílias diferentes sendo arrastadas pela correnteza a 50 metros […]

today23 de janeiro de 2023 10

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%