G1 Santos

Mãe de menino que viralizou ao pedir gás de cozinha é despejada: ‘não tenho para onde ir’

today27 de julho de 2023 5

share close

Em 2022, o filho Bruno usou as redes sociais para mostrar a situação da família. Ele enviou um vídeo a uma página de Facebook mostrando as chamas do fogão da casa em que moravam, em Praia Grande, no litoral de São Paulo.

Nas imagens, a mãe havia usado álcool para acender o fogo e cozinhar para ele e os outros quatro irmãos. “Acabou o gás e a gente não tem muita comida”, disse o menino nas mensagens.

“É horrível não ter o seu próprio lar. Por mim, se eu não tivesse os meus filhos, não estaria aqui não. Estaria morando no meio da rua. Eu não ligaria”, afirmou.



Na casa do amigo do falecido marido, em Praia Grande (SP), ela e o filho mais novo dormem no sofá e outros quatro ficam no chão. “Tem hora que ele é bonzinho e tem hora que manda a gente embora, por causa da família dele, que não aceita. Vou ter que ficar aqui porque não tenho para onde ir”.

Menino de 12 anos de Praia Grande, no litoral de SP, comove a web com pedido de ajuda após ficar sem gás de cozinha e com pouca comida. — Foto: Reprodução/ Mil Grau na Tela e Arquivo Pessoal

De acordo com Andréia, depois que o marido teve um infarto e morreu na frente dela e dos filhos, conseguiu pagar dois meses de aluguel com o dinheiro que conseguiu em um emprego na área da reciclagem, onde recebia R$ 6,50 por dia.

Ao ficar dez meses sem pagar, ela foi despejada com os cinco filhos, de 9, 11, 12, 14 e 16 anos. A mulher, que está desempregada, contou que tem outros três filhos, sendo uma delas maior de idade, que mora em São Vicente e acolheu dois irmãos.

Pertences da família ficam em sacolas no quarto da casa em que estão abrigados em Praia Grande (SP) — Foto: Arquivo Pessoal

Andréia afirmou que o maior arrependimento foi ter vendido o apartamento que ganhou da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo (CDHU-SP). Segundo ela, o marido ainda era vivo e colocou o dinheiro na conta bancária dele.

“Eu sei que ele [marido] se envolveu com um homem que trabalhava com ele. Eu não sei o que eles fizeram, mas eu nunca mais vi o dinheiro”, lamentou.

Ela acrescentou que não era para estar sem moradia, já que recebeu doações, mas lembra ter levado um golpe da prima que, à época, recebeu algo em torno de R$ 6 mil em transferências em nome dela. Andréia não tinha acesso bancário para recolher o valor depositado via PIX.

Quando Andréia pediu o dinheiro arrecadado, a prima afirmou que havia enviado por engano a outra pessoa. Depois a parente confessou que havia ficado com os valores das doações.

“Já não temos mais casa, cama, fogão, geladeira. Só temos as roupas que ganhamos de doações e ficam em sacolas no canto do quarto. Na verdade, a gente não tem mais nada. Mas, graças à Deus, temos a vida e saúde”, finalizou.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

G1 Santos

Da euforia ao pesadelo: mulher de 51 anos descobre que certificado de curso supletivo é falso; VÍDEO

Uma moradora de Guarujá, no litoral de São Paulo, viu a realização de um sonho virar pesadelo. Ela descobriu ser falso o certificado do curso supletivo conquistado após seis meses de dedicação. Adriana Santana Pereira, de 51 anos, que planejou uma vida universitária agora diz estar "de coração partido". Antes de saber que tinha caído em um golpe, ela comemorou a conquista. (veja acima) "Isso [golpe] é matar a pessoa sem arma. Eu tinha mandado enquadrar [o certificado] e colocar […]

today27 de julho de 2023 10

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%