G1 Santos

Menino que recuperou perna após pular do sofá passa por cirurgia para amputar o pé; entenda

today24 de setembro de 2023 43

Fundo
share close

A gangrena seca, conhecida como estado de mumificação, acontece pela desidratação dos tecidos necrosados, que ficam escuros e secos. Ela geralmente é resultado de processos em que a circulação sanguínea é interrompida, como o caso de Yuri.

Em nota, o Hospital Israelita Albert Einstein disse que não comenta a situação de pacientes por respeito à privacidade e ao sigilo. Os pais, no entanto, informaram que a perna da criança foi salva após uma cirurgia de fasciotomia, quando tecidos da pele são cortados para aliviar a pressão e recuperar o membro.

Como o espaço do pé é menor, não foi possível realizar o mesmo procedimento. A cirurgia para amputação do pé foi adiada após o casal pedir para os médicos mais tempo para fazer orações. Devido ao estado do pé, não havia mais tratamentos que pudessem salvá-lo. “Nenhum pai quer que aconteça isso com o filho, porém, somos gratos pela vida do Yuri. Ele teve grandes riscos de perdê-la”.



À esquerda, minutos antes de colocar a tala. À esquerda, membro após cirurgia que recuperou a circulação de sangue da perna — Foto: Arquivo Pessoal

Nos últimos dias, de acordo com Kened, Yuri apresentou uma grande melhora e a sedação diminuiu. Com isso, junto aos psicólogos, os pais conseguiram explicar ao menino pela primeira vez que ele estava no hospital e o pé dele teria que ser amputado.

Kened disse que revelou ao Yuri como estava o pé, fez uma simulação de amputação em um brinquedo de um personagem para o menino ver como seria e mostrou vídeos de crianças com próteses.

O pai disse que o menino acordou no dia da cirurgia perguntando quando iria tirar o ‘pézinho dodói’. “Foi um conforto saber que ele tinha ciência de tudo o que estava acontecendo. Ele falou que tudo o que mais queria era andar e correr, e sabia que com esse pé não ia conseguir. Então, passamos isso para ele”

Segundo Kened, o filho está tendo uma boa recuperação. Os médicos acreditam que a cicatrização deve durar de três a seis meses. Com isso, o pai tem esperança de que Yuri passe o Natal e o Ano Novo com uma prótese.

Apesar da melhora no quadro clínico, Yuri permanece na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) sem previsão de alta. A conta no hospital já ultrapassa os R$ 3 milhões.

Yuri recebeu mensagens de apoio de várias personalidades, entre elas jogadores do São Paulo FC — Foto: Arquivo pessoal

Yuri Gabriel pulou do sofá para o colo do primo e pisou de mau jeito no chão no dia 27 de julho. Os pais o levaram à UPA de Vicente de Carvalho, em Guarujá, onde fez exames de raios-X e nenhuma fratura foi constatada. Ele foi medicado e liberado.

Ele passou por ortopedista no Hospital Santo Amaro (HSA), também em Guarujá, onde a equipe imobilizou a perna dele com uma tala. Yuri foi para casa e, passado um tempo, começou a sentir dores abdominais e a tala apertada. Ele foi levado de volta ao HSA, onde notaram que o pulmão dele estava comprometido.

Ainda no hospital retiraram a tala, momento em que notaram a perna fria e inchada. Uma pediatra comentou: ‘temos que amputar”. Os pais resolveram transferir o filho ao Hospital Israelita Albert Einstein, na capital, onde a circulação sanguínea da perna foi retomada, mas a do pé não.

O menino toma medicamentos para recuperar os pulmões e rins afetados pela bactéria Staphylococcus aureus, além de anticoagulante para tratar trombose em uma artéria da perna direita.

Os especialistas acreditam que não há relação entre a bactéria e perna direita de Yuri, segundo o pai. “A queda pode ter dado um choque para esse problema se manifestar. Mas, há possibilidade dessa bactéria já estar no meu filho [antes]. [A perna], os médicos acreditam que o motivo pode ter sido a tala, que deviam ter colocado muito apertada”.

Ele está internado na capital há mais de 50 dias e não tem previsão de alta. A conta dos procedimentos realizados no Hospital Albert Einstein ultrapassou os R$ 3 milhões. A família já arrecadou R$ 2,2 milhões.

Yuri Gabriel ganhou o apoio de milhares de pessoas na web, inclusive nomes famosos como: Carlinhos Maia, Deolane Bezerra, Meno Kabrinha, Charles do Bronxs e os jogadores Lucas Moura e Rodrigo Nestor.

VÍDEOS: g1 em 1 minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

quatro-tumbas-de-2.000-anos-sao-descobertas-na-faixa-de-gaza

G1 Mundo

Quatro tumbas de 2.000 anos são descobertas na Faixa de Gaza

Quatro tumbas romanas de 2.000 anos foram descobertas no norte da Faixa de Gaza, confirmou um arqueólogo à AFP neste sábado (23), possibilitando assim a reconstituição do primeiro cemitério romano completo neste território palestino. "Com a descoberta destas quatro, o número total de tumbas neste cemitério romano - que data do período entre o século I a.C. e o século II d.C. - agora sobe para 134", afirmou Fadel Al-Otol. […]

today23 de setembro de 2023 6

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%