G1 Mundo

Mercosul: Lula diz que ‘não há atalho na democracia’ na região, mas que é preciso permanecer vigilante contra ‘falsos democratas’

today8 de julho de 2024 8

Fundo
share close

Na ocasião, Lula disse que “não há atalhos para a democracia”, ao mencionar os atos antidemocráticos de 8 de janeiro no Brasil e a tentativa de golpe na Bolívia. Em contraponto, ele disse que é preciso estar vigilantes para o que chamou de “falsos democratas”.

Lula atribuiu a manutenção da democracia na Bolívia à firmeza do governo boliviano, à mobilização do povo, e ao rechaço da comunidade internacional.



Presidente Lula viaja ao Paraguai para participar de Cúpula do Mercosul

Presidente Lula viaja ao Paraguai para participar de Cúpula do Mercosul

“O Mercosul permaneceu mais uma vez unido em defesa da plena vigência do Estado de Direito consagrado no Protocolo de Ushuaia. A reação unânime ao 26 de junho na Bolívia e ao 8 de janeiro no Brasil demonstram que não há atalhos à democracia em nossa região, mas é preciso permanecer vigilantes. Falsos democratas tentam solapar as instituições e colocá-las à serviço de interesses reacionários”, disse Lula.

“Democracia e desenvolvimento andam lado a lado. Os bons economistas sabem que o livre mercado não é uma panaceia para humanidade”, prosseguiu o presidente.

O bloco sul-americano é composto por Brasil, Uruguai, Argentina e Paraguai e deve formalizar a entrada da Bolívia. Ao fim da reunião, o Uruguai assume o comando semestral do grupo (leia mais abaixo).

Presidente Lula ao lado de presidentes na cúpula do Mercosul. — Foto: Ricardo Stuckert / Presidência da República

Anfitrião do encontro, o presidente do Paraguai, Santiago Peña, afirmou que o Mercosul “é um exemplo exitoso e integração e que não há outro caminho” para os sucesso dos países do bloco.

Peña também afirmou que a democracia “não deve ser mera poesia”. Ele defendeu que os países abracem a “democracia com conteúdo”, a “democracia com resultados” para as populações dos países do Mercosul.

Peña reconheceu que há diferenças de visões políticas e ideológicas entre os governantes do bloco e que essa diversidade não pode ser vista como sinal de fraqueza.

O líder paraguaio também se solidarizou com as vítimas das enchentes de maio no Rio Grande do Sul. A catástrofe, na sua opinião, deve reforçar o compromisso com políticas públicas sustentáveis e com respostas rápidas para atender vítimas.

A cúpula ocorreu sem a presença do presidente da Argentina, Javier Milei, o que causou desconforto nos demais integrantes do Mercosul, já que os presidentes não costumam faltar aos encontros semestrais do bloco.

No entanto, a chanceler argentina, Diana Mondino, representou Milei na cúpula de chefes de Estado.

A reunião deve marcar a entrada da Bolívia no Mercosul, representada na cúpula pelo presidente Luis Arce. O país, que passou recentemente por uma tentativa fracassada de golpe militar, aprovou no parlamento as regras de ingresso ao bloco.

Lula seguirá ainda nesta segunda de Assunção para Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia. Na terça (9), ele e Arce terão uma reunião de trabalho.

O encontro já estava marcado antes da tentativa de golpe. Lula decidiu manter a viagem a fim de demonstrar apoia ao governo de Arce.

Comitiva brasileira chega ao Paraguai para 64ª Cúpula de Chefes de Estados do Mercosul. — Foto: Ricardo Stuckert / Presidência da República

Formado por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, e, agora, pela Bolívia, o Mercosul foi criado em 1991, e a presidência do bloco é rotativa por seis meses. Ou seja, a cada semestre, um país comanda o bloco.

Além dos Estados membros, também existem os chamados Estados associados, entre os quais Colômbia e Chile. A Venezuela faz parte do bloco, mas está suspensa desde 2017, e o Brasil tem defendido que o país volte a integrar o grupo.

– Esta reportagem está em atualização




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

em-carta-a-deputados,-biden-recusa-pedidos-para-desistir-e-confronta-partidarios:-‘e-hora-de-acabar-com-isso’

G1 Mundo

Em carta a deputados, Biden recusa pedidos para desistir e confronta partidários: ‘é hora de acabar com isso’

Preisdente dos EUA escreveu documento com duas páginas pedindo que democratas deixem de exigir sua desistência na corrida à Casa Branca. Em entrevista à rede NBC, desafiou partidários divergentes a enfrentá-lo durante a convcenção do Partido Democrata, em agosto. Joe Biden durante evento do Dia da Independência na Casa Branca, em 4 de julho de 2024 — Foto: REUTERS/Elizabeth Frantz Em uma carta enviada nesta segunda-feira (8) a deputados, o […]

today8 de julho de 2024 6

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%