G1 Mundo

Mississippi executa ex-oficial da Marinha condenado por estupro e assassinato

today15 de dezembro de 2022 11

Fundo
share close

A pena de morte é legal em quase metade dos 50 estados americanos; essa é a 18º execução deste ano nos EUA.


Soldados americanos — Foto: Senior Airman Kristin Savage/Combined Joint Task Force – Horn of Africa via AP



Um ex-oficial da Marinha dos Estados Unidos que admitiu o estupro e assassinato de uma adolescente de 16 anos foi executado na quarta-feira (14) pela Justiça norte-americana.

A execução ocorreu no Mississippi.

Thomas Edwin Loden, de 58 anos, foi declarado morto às 18h12 locais (21h12 de Brasília), depois de receber a injeção letal na penitenciária de Parchman, no estado do sul dos Estados Unidos.

Loden se declarou culpado do sequestro de Leesa Gray no ano 2000, que estava sozinha em uma estrada rural depois que seu veículo teve um pneu furado.

O ex-oficial da Marinha, sargento de artilharia e recrutador do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA, confessou ter estuprado Gray diversas vezes em sua van antes de sufocar e estrangular a jovem.

Loden foi encontrado no dia seguinte caído na beira da estrada com as palavras “Sinto muito” escritas no peito, de acordo com os documentos judiciais. Ele foi condenado em 2001 à pena de morte.

A execução foi a primeira no Mississippi este ano e a segunda desde 2013. Loden é o 18º condenado executado nos Estados Unidos em 2022.

A pena de morte é legal em quase metade dos 50 estados americanos, mas este ano só havia sido aplicada em cinco: Alabama, Arizona, Missouri, Oklahoma e Texas.

Newsletter G1 Created with Sketch.

O que aconteceu hoje, diretamente no seu e-mail

As notícias que você não pode perder diretamente no seu e-mail.

Para se inscrever, entre ou crie uma Conta Globo gratuita.

Obrigado!

Você acaba de se inscrever na newsletter Resumo do dia.

Deseja receber as notícias mais importantes em tempo real? Ative as notificações do G1!




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

as-mulheres-sob-risco-no-mercado-ilegal-do-aborto-em-honduras

G1 Mundo

As mulheres sob risco no mercado ilegal do aborto em Honduras

"Dois meses atrás, saí e conheci uma pessoa", ela conta, encolhendo-se. "Não tomei cuidado e fiquei grávida. Tem sido difícil para mim porque vivo sozinha. Eu me sustento sozinha." Ela para e observa um cão de rua aproximar-se do banco onde está sentada no centro da capital hondurenha, Tegucigalpa. Honduras tem algumas das normas mais restritivas do mundo sobre a reprodução feminina. A pílula do dia seguinte foi proibida no […]

today15 de dezembro de 2022 14

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%